Portal EGO

O site “TMZ” teve acesso ao depoimento da ex-namorada do médico Conrad Murray, acusado de homicídio involuntário pela morte de Michael Jackson.

Sade Anding disse, em juízo, que recebeu uma ligação do então namorado por volta de 11h51m no dia em que o cantor morreu. Ela disse que Murray lhe perguntou como havia sido seu dia e que, de repente, parou de falar ao telefone. A ligação teria durado cinco minutos.

Mas a questão central é o fato de que o médico só ligou para o serviço de emergência às 12h21m. Ou seja, Murray pode ter demorado até 25 minutos para pedir ajuda.