Redação com Estadão

Jerry Adriani morreu aos 70 anos

Desde o início de março, o cantor Jerry Adriani vinha relatando, por meio das redes sociais, seus problemas de saúde. Ele foi internado logo após o carnaval. Em 4 de março, publicou um vídeo em que afirmou ter sentido “problemas físicos” no fim do período carnavalesco. Por isso consultou seu médico e foi orientado a se internar. Submetido a “uma pequena intervenção”, que não detalhou, o cantor disse que a situação estava “sob controle”. O cantor, um dos ídolos da Jovem Guarda no anos 1960, morreu neste domingo, 23 no Rio. Adriani completara 70 anos em janeiro

Após a primeira internação, ainda em março, o diagnóstico era de trombose nas pernas. Em 14 de março, Adriani voltou a se manifestar no Facebook, desta vez por um texto: “Como muitos sabem, fui surpreendido por problemas de saúde que me levaram a uma internação e à constatação de que havia passado por uma trombose profunda que acabou provocando embolia pulmonar”, dizia o post. Na ocasião, Adriani teve que cancelar shows, o que também anunciou em seu perfil no Facebook.

O cantor voltaria a ser internado no último dia 7. No dia 10, publicou uma nota em suas redes sociais anunciando que estava com câncer, sem mais detalhes. Segundo o post, o câncer foi diagnosticado após “uma série de exames”. “Jerry está começando tratamento para controle desta patologia. Pedimos a todos que, independentemente de seus credos, solicitem força e pronto restabelecimento ao querido amigo e cantor”, dizia a nota.

Após o anúncio da morte neste domingo, os perfis de Adriani no Facebook receberam várias manifestações de pesar, de fãs e músicos. O guitarrista Rick Ferreira, que integrou bandas de Raul Seixas e Erasmo Carlos, publicou uma foto ao lado de Adriani em 2001, em Liverpool, na Inglaterra, em que os dois se apresentavam durante a “Beatle Week”.

Ele tinha certeza de que seria o último show da vida dele’, diz Wanderléa

A cantora Wanderléa contou que insistiu para que Jerry Adriani não se apresentasse num show no dia 22 de março, no Teatro Net do Rio de Janeiro. O cantor, um dos ídolos da Jovem Guarda no anos 1960, morreu neste domingo, no Rio. “Estive com ele, durante todo momento, desde quando ele se surpreendeu com a doença. Ele queria fazer o show no Teatro Net, mas tentei pedir que ele não fizesse, de que era melhor fazer os exames. Ele tinha certeza de que seria o último show dele”, lamenta a cantora.

A morte foi anunciada pela família em um dos perfis do cantor no Facebook. “Foi quando eu pedi ao público que comparecesse”, continua Wanderléa. “E os amigos e fãs apareceram em massa. Foi uma noite linda com um show maravilhoso ”

Ela revela que se surpreendeu com a notícia da morte do cantor. “A doença o deixou no leito de imediato. O Jerry foi uma pessoa amiga dos seus amigos, um companheiro fiel e generoso. E eu tenho certeza de que os fãs e amigos da Jovem Guarda vão fazer uma homenagem bem linda porque ele merece. Foi um homem gentil, amoroso, carinhoso e com esse talento, só nos deixou coisas boas “