Uol

ayrton-desA coluna descobriu que nesses anos todos a família abortou pelo menos dois roteiros sobre o piloto. Foto: Reprodução

Nos últimos anos a família do piloto Ayrton Senna recebeu várias propostas de estúdios para contar a vida do piloto em um longa-metragem. A primeira foi em 1997, e tinha à frente do projeto o ator espanhol Antonio Banderas. A última investida ocorreu em 2013. As informações são do colunista Ricardo Feltrin.

A coluna descobriu que nesses anos todos a família abortou pelo menos dois roteiros sobre o piloto.

Motivo: os dois baseavam a trama não só em biografias de Senna, mas também em relatos pessoais e no livro de Adriane Galisteu, “O Caminho das Borboletas”, lançado em 1994, apenas seis meses após a morte dele, em acidente em Ímola, Itália.

A ideia era contar a história do tricampeão de Fórmula 1 abordando não só sua paixão pelas pistas, mas também por Galisteu, cuja intérprete teria um duplo papel central na história –seria a “mocinha” que encantou o coração do destemido Senna, e também a narradora da história.

Clique aqui e leia na íntegra.