Redação com G1

Emilly chega à delegacia na segunda-feira – Foto: Reprodução TV Globo

A delegada Viviane Costa Ferreira, da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá (Deam-Jacarepaguá), na Zona Oeste do Rio, contou em entrevista ao G1 que Emilly se emocionou ao tratar da suposta agressão sofrida por ela durante o BBB 17. Emilly foi prestar esclarecimentos no inquérito que apura se o cirurgião Marcos Harter, também participante do programa, a agrediu durante o tempo em que ficaram juntos dentro da casa.

“Teve emoção, ela estava numa delegacia. Outras mulheres ficam da mesma forma. Ela foi pega de surpresa, além disso, envolve um assunto que trata de violência. A emoção é comum quando diz respeito a sentimentos, o que até dificulta que a vítima se identifique e perceba que está em um relacionamento abusivo”, explicou a delegada ao G1.

De acordo com a delegada, falta analisar algumas imagens e depoimentos para finalizar o inquérito. A previsão é que aconteça na próxima semana.
“As mulheres deveriam aproveitar que o assunto está na mídia para verificarem se estão em uma relação saudável. Uma a cada três mulheres é vítima de violência doméstica. Fica o meu apelo para as mulheres pensarem se o parceiro tem algum tipo de comportamento agressivo e elas não estão enxergando”, acrescenta.

A delegada ainda sugere que mulheres que estejam passando por situação semelhante compareçam à delegacia. “A violência doméstica, geralmente, ela é gradativa. Começa com um tratar mal, xingamentos, dedo no rosto. Depois aumenta para um empurrão, tapa no rosto, até que as agressões aumentam e acontece a lesão corporal”, reforça.

Para ler a reportagem completa, clique aqui