Mãe, profissional e companheira… Mesmo em uma vida corrida as mulheres precisam conciliar as inúmeras funções e sentir prazer. Essa é a mensagem da comédia De pernas pro o Ar, com pré-estreia marcada para o próximo dia 25 de dezembro em salas de todo o Brasil. A coletiva para a imprensa aconteceu na segunda-feira, 13, em São Paulo. Participaram a produtora Mariza Leão, a mesma de Meu Nome Não É Johnny, o diretor Roberto Santucci, os atores Bruno Garcia e Denise Weinberg, e a protagonista Ingrid Guimarães.

Divulgação

O argumento do filme partiu de crônica publicada há cerca de dois anos em O Globo na coluna Gente Boa de Joaquim Ferreira dos Santos sobre Erica Rambalde, dona da Sex Delícia – empresa que trabalha com eventos e produtos eróticos. Ingrid Guimarães vive sua primeira protagonista, Alice. Sua personagem não consegue relaxar. Tem uma família, mas esquece de dar atenção à vida sexual. Em meio a essa dedicação toda ao trabalho, acaba sendo demitida. E a partir daí, por incrível que pareça, sua vida começa a melhorar. “Eu sou uma Alice, me identifico. Sou apaixonada pelo que faço”, conta Ingrid sobre os momentos que precisa voltar para dentro de si mesma e esquecer um pouco o trabalho. Mesmo com todo o “déficit emocional” em jogo, Alice não consegue ficar desempregada um só dia. Acaba trabalhando com o marketing de uma sex shop falida, a Sex Delícia, de sua vizinha provocante, Marcela, vivida por Maria Paula.

Não é à toa que o mercado do sexo é o pano de fundo do filme. O negócio do sexo vem despontando no país. A Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme) prevê, para o final de 2010, um crescimento de 16% no mercado erótico do Brasil. Por outro lado, as mulheres estão cada vez mais mergulhadas no mercado de trabalho e assumindo responsabilidades que não conseguem dar conta, mesmo ainda ganhando menos. Apesar de tratar da sexualidade da mulher e como ela busca o seu prazer, não há vulgaridade no roteiro. “É um ‘family movie’ e pode suscitar questões em todas as idades. Buscamos ser elegantes ao contar a história”, explica a produtora Mariza Leão. A comédia é recomendada para maiores de 14 anos. João, o marido de Alice, vivido por Bruno Garcia em um primeiro momento até parece um machão à moda antiga. O que dá o tom dos novos tempos é o cuidado que ele tem com o filho, acima da média. Mesmo convivendo a contragosto com a pouca dedicação da mulher à família, o que o inclui, ele não é grosseiro. Quando precisa lembrá-la sobre os eventos do filho é delicado e educado. A ideia não foi fazer um filme voltado somente às mulheres. O diretor, Roberto Santucci, de Bellini e a Esfinge, relembra as conversas com amigos e como eles achavam interessante tratar do “homem feminino”. “Não queira fazer um filme do gênero ‘mulherzinha’”, comenta.

Tabu — Outra dificuldade ainda encontrada pela mulher é o orgasmo. A atriz Ingrid Guimarães afirma que a maioria das mulheres não sabem o que é o orgasmo, a não ser o clitoriano. A personagem consegue ter o seu primeiro, após descobrir os brinquedos da sex shop. O filme trata de questões delicadas de maneira leve e divertida. Os pontos fracos dos personagens são mostrados com bom humor e logo resolvidos no andamento do longa. O novo papel do homem e da mulher nestes tempos são discutidos.

De Pernas pro Ar

Gênero: comédia

Duração: 97 minutos

Pré-estreia: 25 de dezembro

Estreia: 31 de dezembro