Reprodução

A falta que sente do convívio com as filhas está deixando Dudu Nobre -o sambista boa praça- nervoso. O cantor, que afirma ter visto as filhas Olívia e Thalita apenas duas vezes em três meses, conta que cumpre todas as exigências de sua ex, Adriana Bombom, mas a dançarina não permite que as meninas vejam o pai. “Comprei um carro de R$ 120 mil para Adriana e ela não coloca gasolina. Diz que não tem dinheiro”, afirma.

Por conta disso, entrou na Justiça pedindo a guarda das crianças, que atualmente moram com a mãe em um apartamento alugado pelo sambista, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. Na entrevista a seguir, Dudu fala sobre as filhas, a separação e também sobre sua nova namorada, a bancária Priscila Grasso , de 24 anos.

UOL – Por que você decidiu entrar na Justiça e pedir a guarda das crianças?
Dudu Nobre – Em primeiro lugar, quero deixar claro que acho que as crianças precisam da mãe. Como faço muitos shows, achei melhor que Olívia e Thalita ficassem com a Adriana. Mas hoje vejo que não foi legal. Ela me priva do meu direito de pai. Adriana exigiu um carro de R$ 120 mil com motorista das 8h às 18h para uso exclusivo das meninas e eu não me opus. Só que ela me liga dizendo que o carro está enguiçado. Aí eu pergunto: “O que o carro tem?”. E ele me responde que está sem gasolina. Adriana recebe uma grana bacana da RedeTV!, mas está sempre sem dinheiro. Como é que não consegue colocar gasolina no carro? Eu pago a escola das meninas, o plano de saúde… E ainda pago a pensão. Tenho todos os recibos.

UOL – Tirando a briga entre vocês pela visita, Adriana é uma boa mãe?
Dudu Nobre – Um dia, ela me ligou que havia sido pega na blitz da Lei Seca. Outro dia, largou minhas filhas em uma festa e só voltou para buscar as meninas no dia seguinte. Liguei pra Adriana umas cinco horas da tarde e ela me disse que estava indo em casa buscar casacos para as crianças porque o tempo estava virando. Duas horas depois liguei de novo e ela me disse para ligar para a mulher do meu empresário, que estava na festa. Liguei e ela me disse que a Adriana ainda não tinha voltado. Dez horas da noite o dono da festa me ligou dizendo que as meninas iam dormir lá porque a Adriana não tinha voltado para buscá-las. Fiquei doido. Só não fui até lá pegar as minhas filhas porque estava fazendo show no Paraná.

UOL – De vez em quando ela aparece em fotos com as meninas no shopping.
Dudu Nobre – Ela está querendo se promover em cima das minhas filhas. Liga para os fotógrafos e avisa que está indo no shopping. Mas depois deixa as duas com a babá e sai.

UOL – Vocês pareciam um casal feliz. Estavam sempre juntos nos shows. Por que se separaram?
Dudu Nobre – Adriana tem sérios problemas. Falei com ela que era importante procurar um tratamento ou eu ia pular fora. E ela não procurou ajuda médica.

UOL – O problema é que ela é muito consumista?
Dudu Nobre – Eu não vou falar sobre o problema dela. Se Adriana quiser, ela que fale. Todas as pessoas do meio artístico sabem do que eu estou falando.

UOL – Você paga alguma conta da Adriana?
Dudu Nobre – A última conta dela que eu paguei foi em abril. Era uma fatura de celular no valor de R$ 3 mil.

UOL – Um episódio marcou publicamente a separação de vocês. Foi quando você trocou a fechadura e Adriana teve que pular o muro para entrar.
Dudu Nobre – Impedi a entrada dela porque não aguentava mais aquela situação. Estava separado, mas a minha ex-mulher continuava transitando dentro da minha casa. Tenho um acordo homologado que diz que ela tinha que deixar a casa em outubro do ano passado. Isso não aconteceu. Dei um prazo para ela até março e Adriana também não saiu. Mas não deixei ela na rua. Aluguei um bom apartamento na Barra, que é o mesmo bairro onde eu moro, para ela e minhas filhas.

UOL – Como as crianças lidam com o seu novo namoro?
Dudu Nobre – Adriana fica mostrando fotos da minha namorada para elas e fica enchendo as duas com isso. Já falei para Adriana viver a vida dela e deixar a minha em paz.

UOL – Os problemas com a Adriana afetam o seu namoro?
Dudu Nobre – Tenho uma namorada maravilhosa, que aceita a minha mãe, coisa que Adriana nunca aceitou. A mãe da Adriana podia ir lá em casa, mas a minha, não. Minha irmã também não podia ir na minha casa porque a Adriana implicava com ela.

UOL – Mas essa implicância era gratuita?
Dudu Nobre – Era! E eu não podia nem ver meu sobrinho. Agora já está tudo em paz.