(Foto: Reprodução Extra)

 

Para Victoria Brooks, jurista da Universidade de Westminster, a forma como os humanos veem as bonecas sexuais deverá mudar veloz e drasticamente.

Um caso ocorrido no ano passado pode ser uma reviravolta na questão. Em uma feira de tecnologia ocorrida na Áustria, o robô sexual Samantha atraiui enorme atenção masculina e acabou “molestada”. O episódio, diz Victoria, levanta questões éticas envolvendo bonecas desenhadas para a satisfação sexual.

“Sim, Samantha é uma boneca. Mas isto significa que é justificável destruí-la?”, ponderou. “O fato de ela ter forma humana faz dela uma superfície na qual a sexualidade humana é projetada, e símbolo da sexualidade humana futurista. O caso de Samantha é especialmente triste”, acrescentou.

Para ler a matéria completa no Portal Extra clique aqui.