Público apoiou a apresentação que quase não aconteceu na Santos Andrade – Foto: Arte da Comédia

O que era para ser uma tarde de cultura, com a apresentação de uma peça de teatro do Fringe, mostra do Festival de Curitiba, se transformou em troca de insultos e muita discussão na tarde do último sábado (31), em Curitiba. A confusão aconteceu porque um grupo de cerca de 30 pessoas que apoiam a intervenção militar no Brasil ocupou as escadarias da Universidade Federal do Paraná (UFPR), na Praça Santos Andrade, para um ato público. O problema é que o espaço já estava reservado e autorizado para a apresentação de uma das peças da Cia Arte da Comédia, “A loucura de Isabela’. Foi aí que começou a confusão.

De acordo com o diretor da Cia, Roberto Innocente, mesmo após várias tentativas de diálogo, inclusive com a presença da direção do Fringe, o pequeno grupo de manifestantes de direita tentou barrar a apresentação da peça. “Tínhamos a autorização da prefeitura para ocupar o espaço. Mostramos isso aos manifestantes e tentamos de toda forma estabelecer um diálogo, mas eles reagiram com muita raiva. Gritavam palavras ofensivas, diziam que éramos um teatrinho, um cirquinho. Doeu muito”, contou o diretor.

Houve confronto para impedir a apresentação da peça – Foto: Arte da Comédia

O grupo que pedia a volta do militarismo ocupou a praça com um carro de som e, segundo integrantes da Cia de teatro, não queria de forma alguma liberar o espaço para a montagem do cenário. “Depois de muita discussão, conseguimos convencer uma das manifestantes e ela disse que poderíamos montar o cenário às 15h30, uma hora antes do horário da apresentação. Quando chegou este horário, começamos a levar as lonas e o palco para a praça. Foi então que alguns do grupo passaram a chutar e destruir nosso material cênico. Houve muito bate-boca. Felizmente, tivemos o apoio do público que começava a chegar. As pessoas fizeram um cordão de isolamento para nos proteger e ‘abraçaram’ o espetáculo. Isso foi emocionante”, contou o diretor. Vídeos com as discussões foram postados na página do grupo de teatro Arte da Comédia,  no Facebook.

Com a intervenção do público, o grupo de defensores do regime militar acabou se retirando e a peça pode ser apresentada com cerca de meia hora de atraso.

A apresentação aconteceu após a confusão na praça – Foto: Arte da Comédia

“Passado o tumulto, os atores, emocionados, cresceram em alma e tamanho e fizeram lágrimas rolar, no palco e na plateia (…) Foi lindo mais uma vez ver o teatro vencer, chegar na plateia com a precisão de um raio. É pena, que só pode entender, quem tem olhos de ver… Enfim, sigamos na resistência! Viva o teatro!”, escreveu a atriz Cleo Fagundes em uma postagem nas redes sociais.

O diretor Roberto Innocente lamentou ainda, em entrevista à Banda B, a omissão dos policiais que estavam na praça. “E se não bastasse toda esta intolerância, ficamos ainda mais revoltados com a omissão de alguns policiais que estavam na praça. Fomos pedir que interferissem para acalmar os ânimos e eles simplesmente se afastaram e foram embora. Revoltante”, completou o diretor.

Outro lado

A Banda B tentou mas não conseguiu localizar o grupo que organizou a manifestação em favor da intervenção militar. Não há referência de qual grupo fez o protesto.

A reportagem também entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar do Paraná questionando a afirmação do diretor, de que teria havido omissão por parte de alguns policiais durante a confusão e a corporação enviou uma nota à Banda B:

A Polícia Militar registrou uma situação na referida praça, no horário especificado, na qual consta que a solicitante relatou fatos e foi orientada pelos policiais.

A PM agiu de maneira que todas as pessoas convivessem de maneira pacífica no local, que é público e de acesso a qualquer pessoa. 

A corporação informou ainda que os grupos envolvidos se acertaram no local.

Fringe

O Fringe, que faz parte do 27º Festvial de Curitiba, é um evento de teatro aberto, democrático e sem curadoria.

Neste ano, em sua 21ª edição, o Fringe reúne mais de 372 espetáculos de companhias vindas de 14 estados e 4 países. Com a proposta de ser um espaço democrático e que atenda um público heterogêneo, as atrações têm ingressos de preços variados, além de 96 espetáculos gratuitos e 46 pague quanto vale.

O Fringe abrange Curitiba e abraça também a Região Metropolitana. Os espaços da cidade que serão inundados por essa enxurrada de arte são inúmeros: teatros, praças, ruas, feiras e parques.

Grupo Arte da Comédia – Divulgação

Cia Arte da Comédia – Como assistir:

O grupo Arte da Comédia nasceu em 2006 e desde então pratica o Teatro na Rua em Curitiba. A mostra do Fringe comemora os 10 anos do grupo e reúne o repertório da Cia, em apresentações gratuitas de cinco dos espetáculos já produzidos ao longo de sua trajetória artística.

As próximas apresentações acontecem na Praça Santos Andrade nesta terça-feira (03), às 11 horas e às 16h30, com a peça ‘A comédia da panela’

Há espetáculos até o dia 8 de abril. Confira a programação completa AQUI