Redação com assessoria

Uma pesquisa recente realizada pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), em parceria com a BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, revelou que 24% dos entrevistados estão procurando ou pretendem comprar um imóvel em Curitiba, predominantemente residencial (87%), pronto para morar e com finalidade de moradia. Destes, 36% pretendem o fazer no período de 12 meses. O estudo mostrou ainda que 18% dos entrevistados preveem adquirir um imóvel para investimento, com finalidade de locação (86%).

A preferência é por imóveis residenciais com preço de R$ 170 mil a R$ 400 mil, com valor médio de entrada de R$ 15 mil e parcelas mensais de R$ 600,00 a R$ 1 mil. Quanto aos itens de lazer, salão de festas, churrasqueira coletiva, academia e paisagismo foram apontados como os fatores mais relevantes da área comum pelos entrevistados. Para os imóveis comerciais, a prioridade é por unidades com preço até R$ 400 mil, com valor de entrada de R$ 15 mil ou entre R$ 25 mil e R$ 50 mil e prestações de R$ 1.001,00 a R$ 1,5 mil.

Atributos como bairro e preço são os fatores mais relevantes para a compra, seguidos de segurança do bairro e do imóvel. A mobilidade urbana também tem peso nessa definição, visto que mais da metade dos entrevistados citou como itens importantes o imóvel estar perto da escola dos filhos, do trabalho e do ponto de ônibus. Além disso, o número de dormitórios da edificação é relevante.

Na avaliação do presidente da Ademi/PR, Gustavo Selig, os dados comprovam que existe demanda para a aquisição do imóvel novo em Curitiba, independente da faixa etária e motivação de compra. “Apurou-se que quanto maior a renda, maior a urgência na aquisição do imóvel novo. Entretanto, é unânime a opção preferencial pela compra do imóvel residencial”, analisa.

O dirigente acredita que esse comportamento do consumidor poderá ser verificado na prática na 23ª Feira de Imóveis do Paraná 2014, que acontece de 27 a 30 de agosto, no Expo Renault Barigui, em Curitiba. “Cruzando-se essas informações, verifica-se que os compradores mais jovens estão à procura do primeiro imóvel para sair do aluguel, enquanto os mais maduros demonstram potencial para substituição da moradia atual, o que configura um movimento de upgrade, e também para a aquisição de imóveis para investimento”, avalia Selig.

De modo geral, e considerando o segmento residencial, os apartamentos com dois banheiros, duas vagas de garagem, localizados nas regiões do Centro, Água Verde, Portão, Mercês, Cabral, Alto da XV e Bigorrilho, lideram as buscas. “Embora esses locais tenham aparecido com mais recorrência, a citação foi pulverizada entre os bairros da cidade”, ressalta Selig.

A pesquisa quantitativa foi realizada por meio da aplicação de 1.871 questionários com perguntas abertas e fechadas, no período de 24 de maio a 22 de julho de 2014. O levantamento tem nível de confiança de 95% e margem de erro de 2,3%. A amostra caracterizou-se pela predominância de pessoas com idade entre 25 e 45 anos, sendo 47% delas com renda familiar acima de R$ 5 mil, em Curitiba.