Redação com assessoria

 O Secovi-Pr estima que o número de alugueis realizados em Curitiba nos últimos 12 meses tenha aumentando 4,8%. É o que aponta o último estudo realizado pelo Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento Imobiliário e Condominial (Inpespar). A análise também revelou que tanto o índice de inadimplência de alugueis quanto o de condomínios apresentou queda em julho.

“Na contramão das más noticias sobre a economia, a inadimplência dos alugueis vem diminuindo. A análise que fazemos é que a moradia ainda é o item mais valorizado pelas famílias”, destaca o presidente do Inpespar e vice-presidente de Economia e Estatística do Secovi-PR, Maurício Moritz. O índice de inadimplência dos alugueis na capital caiu 1,4 pontos percentuais neste mês, na comparação com o mês anterior. Já no caso das taxas de condomínios, a amostragem aponta uma queda de 0,2 pontos percentuais, no mesmo período.

Os contratos de locação continuam tendo, na maioria, suas garantias sendo feitas por meio de fiadores (73%). Em segundo lugar aparece a opção de seguro fiança (15%). A valorização dos alugueis residenciais nos últimos 12 meses fechou em 1,97%.

Os mais procurados

Os imóveis com maior oferta no mercado e mais procurados por quem busca uma residência continuam sendo os apartamentos com dois e três dormitórios.

Segundo Moritz, cerca de 58% dos apartamentos com dois quartos tinham preços de aluguel divulgados na faixa de R$ 601 a R$ 1200. “Nossa estimativa é a de que cerca de 72% dos negócios efetivados estejam nesta faixa de preços”, afirma.

Já no caso dos apartamentos com três quartos, 64% do estoque têm valores entre R$901 a R$ 2000, porcentagem muito semelhante ao que se observa com relação a faixa de preços dos contratos firmados.