Da Agência Brasil

As taxas das operações de crédito subiram no mês de setembro, segundo pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Para pessoa física, houve crescimento de 0,02 ponto percentual na taxa de juros, em relação a agosto deste ano. No mês de setembro, a taxa ficou em 5,53%, enquanto em agosto foi 5,51%.

Essa é a quinta alta registrada no ano pela pesquisa da Anefac. Na pesquisa anterior, a taxa de juros média para pessoa física no mês de agosto representou elevação de 0,03 ponto percentual em relação a julho, que havia tido média de 5,48%. A taxa de juros média geral para pessoa jurídica também apresentou elevação de 0,02 ponto percentual no mês de setembro, na comparação com agosto. A taxa ficou em 3,18% no mês passado, enquanto agosto registrou 3,16%.

Das seis linhas de crédito para pessoa física pesquisadas, apenas uma se manteve estável, a do rotativo do cartão de juros-101013-bandabcrédito, e o restante apresentou alta. No caso dos juros do comércio, houve elevação de 0,73%, passando de 4,11% ao mês (62,15% ao ano) em agosto, para 4,14% ao mês (62,71% ao ano) em setembro. O cheque especial teve elevação de 0,26%, passando de 7,81% ao mês (146,55% ao ano) em agosto, para 7,83% ao mês (147,1% ao ano) em setembro.

O crédito direto ao consumidor (CDC) obtido nos bancos e em financiamentos sobre a compra de automóveis registrou alta de 1,86%, passando de 1,61% ao mês (21,13% ao ano) em agosto, para 1,64% ao mês (21,56% ao ano) em setembro. Empréstimo pessoal em bancos teve alta de 0,65%, passando de 3,1% ao mês (44,25% ao ano) em agosto, para 3,12% ao mês (44,58% ao ano) no mês passado. O empréstimo pessoal em financeiras registrou alta de 0,57%, passando a taxa de juros de 7,03% ao mês (125,98% ao ano) em agosto, para 7,07% ao mês (126,99% ao ano) em setembro.

Todas as linhas de crédito para pessoa jurídica tiveram a mesma elevação, de 0,02 ponto percentual. O capital de giro apresentou alta de 1,3%, passando da taxa de 1,54% ao mês (20,13% ao ano) em agosto, para 1,56% ao mês (20,41% ao ano) em setembro. O desconto de duplicatas teve alta de 0,89%, passando de 2,24% ao mês (30,45% ao ano) em agosto, para 2,26% ao mês (30,76% ao ano) em setembro. A conta garantida apresentou alta de 0,35%, passando de 5,69% ao mês (94,27% ao ano) em agosto, para 5,71% ao mês (94,71% ao ano) no mês passado.