Da Agência Lusa

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde admitiu hoje (7) que houve erros na avaliação do organismo sobre as medidas de enfrentamento à crise econômica a serem aplicadas a alguns países. Segundo ela, não será necessário elevar os ajustes orçamentários “até ao máximo”. A dirigente deu as declarações durante um encontro de economistas na cidade de Aix-en-Provence, no sudeste da França.

Christine Lagarde, no entanto, frisou a necessidade de reformas. “Muitos desses países [em crise] têm que se comprometer com reformas estruturais para aumentar a produtividade”, afirmou a diretora-gerente. De acordo com ela, alcançar a recuperação do crescimento econômico é essencial para garantir o emprego. Ela recordou que atualmente há mais de 200 milhões de desempregados no mundo, dos quais 12% estão na zona do euro.

Christine Lagarde falou ainda sobre a necessidade de um marco regulatório mais rigoroso em relação às instituições financeiras e disse que a ausência de regulação está na origem da crise atual. De acordo com a dirigente, a ausência de regulação está na origem da crise atual. A diretora-geral também antecipou uma ligeira queda nas previsões da conjuntura mundial realizadas pelo FMI, que serão anunciadas nos próximos dias.