Da AEN

O governador Beto Richa recebeu nesta terça-feira (26), durante reunião com entidades do setor produtivo paranaense, que compõem o G7, uma cópia de um requerimento que será enviado ao Governo Federal solicitando mais agilidade na liberação dos processos de financiamentos feitos pelo Paraná a agências de fomento nacionais e internacionais, que somam aproximadamente R$ 3,5 bilhões.

“Agradeço o apoio do setor produtivo do nosso Estado. Esses recursos são fundamentais para investirmos em ações prioritárias do povo paranaense. É muito importante que essa discussão saia do campo político”, afirmou o governador Beto Richa.

O documento será direcionado à ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e foi assinado pelos presidentes da Federação do Comércio do Estado do Paraná (Fecomércio); Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep); Federação das Empresas de Transportes de Cargas do Paraná (Fetranspar); Associação Comercial do Paraná (ACP); Federação das Associações Comerciais e Empresarias do Estado do Paraná (Faciap); da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep); e da Federação das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar).

Os empréstimos do Paraná aguardam liberação do governo federal, especificamente na Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Na carta, o grupo apresenta uma série de argumentos que demonstram a necessidade de novos recursos para manter a capacidade de investimento do Paraná.

O documento lembra ainda as recentes perdas de receitas que o Estado vem sofrendo em razão da queda das transferências federais. Os valores ultrapassam R$ 1 bilhão, provocando dificuldades financeiras para o Estado.

Hélio Bampi, vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), disse que o setor produtivo está solidário ao governo estadual quando a necessidade dos empréstimos internacionais e nacionais.

“Os estados brasileiros estão com reduzida capacidade de investimento e as demandas da população são crescentes. Precisamos com urgência desses investimentos, por isso, iremos a Brasília pedir que a União aprove os empréstimos”, disse ele.

Darci Piana, da Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio), destacou a boa relação com o governo estadual e disse que o setor comercial do Estado apoia a liberação dos empréstimos ao Paraná. “Todos os outros estados da Federação têm problemas financeiros semelhantes e obtiveram os empréstimos. Para o Paraná esses recursos são fundamentais, então iremos até Brasília tentar agilizar essa liberação”, garantiu ele.

Infraestrutura

A reunião com o G7, Richa reforçou que o governo do Estado quer estreitar as relações com o setor produtivo. “Queremos compartilhar com os setores os nossos planos de investimentos para o Paraná”, disse Richa.

Sérgio Malucelli, presidente da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Paraná (Fetranspar), disse que a grande prioridade do setor continua sendo a infraestrutura viária. A mesma preocupação foi demonstrada pelo presidente da Federação da Agricultura do Paraná (Faep), Ágide Meneguetti.

Meneguetti afirmou ainda que as Parcerias Público-Privada (PPPs) são uma boa alternativa para a execução de obras prioritárias nas estradas paranaenses. “Precisamos urgente de novos investimentos no setor. A economia está estagnada com a falta de uma infraestrutura mais eficiente”, disse ele.

O governador citou os investimentos e as dificuldades financeiras do governo na área. Ele convidou os integrantes do grupo para outra reunião, daqui um mês, com o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, e integrantes da Agência Reguladora, para uma nova exposição sobre os projetos do Estado para o setor.