Redação com assessoria

A Copel é a maior empresa do Paraná. A divulgação foi feita pela revista Amanhã com dados da PwC Brasil no estudo “500 maiores do Sul”. Na terceira colocação em 2012 (o levantamento é apresentando no ano posterior), a empresa de energia do Estado subiu duas posições em 2013, seguida de HSBC e Renault.

A consolidação dos resultados das maiores empresas do Paraná traz uma aparente contradição. A economia do Estado teve um desempenho acima da média nacional, em 2013, com um crescimento de 5% no Produto Interno Bruto (PIB). No entanto, somadas, as 100 maiores companhias paranaenses apresentaram uma queda de quase 10% no Valor Ponderado de Grandeza (VPG) – indicador exclusivo da revista Amanhã e PwC Brasil, que resulta da soma ponderada de patrimônio líquido (50%), receita bruta (40%) e lucro ou prejuízo líquido do exercício (10%).

O mesmo movimento foi observado em outros indicadores, como lucro líquido, receita bruta e patrimônio. O motivo da queda, no entanto, não está relacionado ao desempenho das maiores companhias paranaenses. É, ao contrário, um detalhe circunstancial: no fim de 2013, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a aquisição da Vivo pela Telefônica – cuja sede fica em São Paulo. Com isso, a operadora deixou de consolidar seu balanço em Curitiba e foi excluída do ranking do Paraná, deixando uma lacuna superior a R$ 30 bilhões na soma das receitas brutas das 100 maiores.

A despeito da questão estatística, a indústria paranaense registrou um desempenho positivo em 2013, com um crescimento de 5,6%, bem superior à média nacional, de 1,2%, de acordo com dados do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes). Entre os setores que impulsionaram esse desenvolvimento, destaca-se a produção de veículos automotores, com um salto de 18,3%. A Renault, maior empresa do setor automotivo, pulou da quarta para a terceira colocação no Estado – com um VPG de R$ 6,8 bilhões e receita bruta de R$ 14,7 bilhões em 2013, o que representa uma expansão de 6,3% em relação ao ano anterior.

Embora a Vivo tenha deixado o ranking, o setor de telecomunicações não ficou desassistido. A GVT, que em 2012 aparecia como a sexta empresa do Paraná e a 12ª entre os três Estados, pulou para a quarta colocação entre as empresas paranaenses – e para a sétima no cômputo geral do sul. O crescimento da GVT tem sido expressivo. Em 2013, seu faturamento ultrapassou os R$ 8 bilhões, uma expansão de 12,5% em relação ao ano anterior. Em 2012, a receita da companhia emplacou um salto de 36%.

Veja em anexo o ranking completo:

As 10 maiores:

2013

2012

    Nas 500

    Grupo/Empresa

1

        3

4

Copel e Controladas

2

        2

5

HSBC Bank Brasil S/A

3

        4

6

Renault do Brasil

4

        6

7

Global Village Telecom S/A (GVT)

5

        5

11

Klabin S/A

6

        7

13

Coamo – Agroindustrial Cooperativa

7

        8

14

ALL e Controladas

8

      10

15

Itaipu Binacional

9

      12

21

Sanepar – Cia. Saneamento do Paraná

10

      11

23

Electrolux do Brasil e Controlada