Da redação com assessoria

O comércio digital aumenta 30% ao ano, segundo dados da Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). A causa é a expansão do acesso a internet e a aderência a endereços virtuais pelas empresas. Segundo o diretor geral do Ecom, Marcelo Castro, os consumidores dificilmente conseguem achar na web uma instituição que não tenha URL.

Castro afirma que 75% dos comerciantes não possuem endereço virtual, o que pode gerar uma estagnaçãocomercio-eletronico-030913-bandab nas vendas. “Atualmente, o principal objetivo está em conquistar a atenção dos internautas e não mais a audiência”. Para ele, é necessário aproveitar o crescimento deste setor.

O diretor do Uol, Juliano Motta diz que existe um mix de novos nichos de negócios, mas enfatiza a importância da metodologia de trabalho. “É imprescindível o compromisso com os cientes na internet. A empresa precisa ter credibilidade diante do público e isso significa produzir anúncios de qualidade, fotografar os produtos etc.”, salienta o especialista da empresa que hospeda lojas virtuais como.

Varejo

Outro setor que vem crescendo graças à evolução do comercio digital é o mercado de varejo. Em 2012, as vendas por internet alcançaram R$ 22,5 bilhões, 20% a mais do que no ano anterior.

Para o consultor de novos negócios do Sebrae, Luciano Rego, uma série de fatores estão afetando esse mercado, dentre eles, os eventos esportivos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. “O Brasil tem aproximadamente 107 milhões de internautas. Com isso, cada comerciante que possui uma loja virtual precisa usar da criatividade para ter diferencial”, ressalta.

De acordo com o gestor-presidente da CDL Curitiba, André Luiz Pellizzaro, a inclusão digital está mudando a experiência de compras, onde as famílias, em casa, adquirem bens e serviços pelo computador. Segundo ele, só no primeiro semestre deste ano registrou-se um aumento de 24% nas vendas pela internet. “Os varejistas devem estar preparados para este novo seguimento, adequando seu negócio ao comércio eletrônico e, mais, fazer parte deste novo mercado”, salienta.