Desde o início da Operação Verão no Paraná, em dezembro do ano passado, o Corpo de Bombeiros já contabilizou o salvamento de cerca de 700 pessoas na orla do Estado. Entre eles, a o de uma família no Balneário de Primavera, próximo a Santa Terezinha, salva por um bombeiro de folga e sem equipamentos de socorro aquático.

Para que resgates ocorram com resultados positivos, os bombeiros passam por diversos treinamento específicos para salvamentos aquáticos. O major Emanuel, do Corpo de Bombeiros, detalha que os cursos são mantidos semanalmente para que o condicionamento físico dos profissionais não seja prejudicado.

“Todos os bombeiros que estão conosco fazem curso de guarda-vidas, que é uma especialização bem específica, com duração de quatro meses e estágio durante a Operação. Para a manutenção dessas técnicas, fazemos treinamentos contantes nas terças e quartas-feiras para manter esse condicionamento e preparo técnico. Antes da Operação, os guarda-vidas passam por um processo de reciclagem nas unidades de origem, então já chegam aqui condicionados no ponto de vista físico e técnico para as habilidades”, explica.

Segundo o major, as técnicas são diferentes para situações em mar, água parada ou em rios, principalmente quando há as chamadas cabeças d’água, quando os rios enchem de repente depois de chuvas intensas.

“Fundamentalmente, esses cursos visa o salvamento aquático em ambiente costeiro ou em águas calmas. Quando nós temos as águas rápidas, que são aquelas cabeça d’água, enxurrada, e no treinamento o bombeiro vai estar capacitado a fazer o resgate em situação de água extremamente agitada, em velocidade alta, é um treinamento bem mais específico, até maior do que o que acontece no Litoral”, explica o major Emanuel.

Hoje

Às 14 horas, o Corpo de Bombeiros realizará uma instrução de Salvamento em Águas Rápidas (SARp) em Morretes. Acidentes com cabeça d’água, conforme explicado pelo major, inundações e alagamentos ocorrem com frequência no Litoral, mais comum em Morretes, no rio Nhundiaquara e outros córregos da região. Por isso, o Corpo de Bombeiros mantem a Força Tarefa para resposta a desastres no Paraná, que são bombeiros empregados para atender qualquer situação de calamidade pública.

Balanço

Dados atualizados da Operação Verão indicam que, desde o dia 21 de dezembro até essa semana, mais de 700 pessoas foram salvas de afogamentos; quatro não resistiram e morreram. Os bombeiros também localizaram 321 crianças perdidas e registraram 591 queimaduras por água viva.