O ex-ponteiro Giba negou, em nota enviada à Banda B no começo da tarde deste sábado (17), que um mandado de prisão tenha sido expedido em seu nome por falta de pagamento de pensão alimentícia dos filhos. De acordo com o ídolo do vôlei brasileiro, o Tribunal de Justiça em poucas horas derrubou a decisão, em um reconhecimento de que jamais houve qualquer razão para a prisão.

Segundo reportagem da Folha de São Paulo, a dívida de Giba chegaria a aproximadamente dez meses de pensão. A dívida seria referente aos dois filhos com a também ex-jogadora de vôlei, Cristina Pirv.

Em nota, Giba garantiu que paga pensão mensalmente. “Um valor mais do que justo e suficiente para que meus filhos, Nicoll e Patrick, tenham uma qualidade de vida acima da média. Ofereci pagar, via bolsa de estudos, além do valor que pago, as mensalidades dos meus filhos em uma das melhores escolas de Curitiba, que fica inclusive perto da casa deles, mas esta proposta foi negada por ela”, garantiu.

O ex-jogador alega ainda que Cristina se baseia num valor que ele não recebe mais para a cobrança da pensão. “A mãe dos meus filhos pede, em processo na justiça, um valor de pensão baseado em valores que eu não ganho mais há bastante tempo. Em nossa separação, deixei diversos imóveis para ela, no Brasil e na Romênia, além da guarda das crianças, e de ter que me desfazer de alguns bens meus para quitar dívidas deixadas por ela enquanto fomos casados”, afirmou.

Giba atualmente mora em Curitiba e solicitou à Justiça a guarda compartilhada dos filhos.

NOTA OFICIAL: Sobre as recentes notícias envolvendo meu nome, tenho alguns esclarecimentos: – O mandado de prisão sequer chegou a ser expedido, tendo o Tribunal em poucas horas derrubado a decisão, em um reconhecimento inequívoco de que jamais houve qualquer razão para a prisão. – Pago de pensão , mensalmente, um valor mais do que justo e suficiente para que meus filhos, Nicoll e Patrick, tenham uma qualidade de vida acima da média. – Ofereci pagar, via bolsa de estudos, além do valor que pago, as mensalidades dos meus filhos em uma das melhores escolas de Curitiba, que fica inclusive perto da casa deles, mas esta proposta foi negada por ela. – A mãe dos meus filhos pede, em processo na justiça, um valor de pensão baseado em valores que eu não ganho mais há bastante tempo. Em nossa separação, deixei diversos imóveis para ela, no Brasil e na Romênia, além da guarda das crianças, e de ter que me desfazer de alguns bens meus para quitar dívidas deixadas por ela enquanto fomos casados. – No ano passado, mudei do Rio de Janeiro para Curitiba afim de ficar mais perto dos meus filhos e pedi a guarda compartilhada, e a justiça está prestes a conceder, com base em lei, sendo esta mais uma razão da minha ex-mulher insistir em valores absurdos. – Patrick e Nicoll podem comprovar que faço o possível e o impossível pela felicidade deles – única e exclusivamente deles. Haja vista a alegria de ambos quando estão comigo. É para eles, e somente para eles, que pago mensalmente a pensão. A minha parte como pai estou fazendo. Deito minha cabeça tranquilamente no travesseiro com a sensação de que nao deixo faltar nada aos meus filhos.

Uma publicação compartilhada por Giba 7 (@giba7oficial) em

Notícia Relacionada: