Por Verônica Melhem*

Quanto mais a gente explora Curitiba, mais a gente percebe o quanto tem coisa pra descobrir ainda. Ô cidade cheia de esconderijos maravilhosos! E o que eu conheci mais recentemente é um quintal enorme, bem no centro de Curitiba: os fundos da Casa Brasileira. Localizada na Saldanha Marinho, ela é uma hospedaria fofíssima, e agora é palco pela terceira vez consecutiva do evento Feirinha no Quintal, que é justamente onde eu estive no último domingo, dia 6.

A Karen é organizadora do evento, e eu conversei um pouco com ela pra entender melhor sobre a Feirinha, e tudo o que ela representa. Bora ver?

“Eu sou voluntária na instituição Centro Comunitário Dr. Hugo Dehé, e a Clô, que é dona da Casa Brasileira, também é voluntária lá. E eu conheci o quintal a partir disso. A gente tinha feito outros eventos que não chegaram a ter uma arrecadação tão interessante, porque a gente atende crianças, mães… Dá uma despesa, porque todo sábado a gente faz almoços, além das atividades de esporte. Pra manter esse projeto, a gente basicamente faz a parte de eventos: feijoada, refeições. Então eu pensei: vou explorar esse local, um quintal maravilhoso no centro da cidade, de fácil acesso. (…)

Não tem muito erro, a gente traz comida, a gente traz bebida, traz uns “mimos”, tudo de produtores locais, e que acabou trazendo agora essa questão de sustentabilidade, que eu acho muito importante. (…)

A causa é beneficente, a gente precisa desses eventos para manter. Mas ao mesmo tempo, acabou virando uma paixão minha, e agora eu tenho um sócio que me ajuda na produção, e ela vai crescer para além da Feirinha no Quintal – SPOILER!!! #aguardem

Eu espero que tenham mais eventos, e que tragam sempre novidades. Hoje a gente trouxe mais expositores, diferentes, pra sempre renovar o público e quebrar a bolha. Curitiba tem esse lance de bolha, em que você vive num círculo social e é só essa galera que você conhece. Então é assim, se eu trago uma pessoa que eu não conheço pra expor, ela vai trazer uma pessoa que eu não conheço pra visitar a Casa. E vai abrangendo.”

No evento tinha um pouquinho de tudo (inclusive muita música, com os artistas da Idade Média Moderna, El Tropikano, Los Entradas, Gosmma, Corazón e GABS), dá uma olhada:

– Bazar do próprio Centro Comunitário, com alguns produtos autorais também

– Flash com os tatuadores do Vslumbre Ateliê

– Os cosméticos caseiros da Raiz

– Plantinhas e suculentas da Cida

– Cadernos e quadrinhos da Lascaux

– Camisas, croppeds, e muito mais da Hype Brasil

– Molhos apimentados da Brutos

– Acessórios e camisetas da Me, Lola

– Chopps da Cervejaria Xamã

– Brigadeiros gourmet, os Janadeiros

– Comidinhas da Space Dog Vegetarian

– Crepes da Fraternité Crêpe

Leia o relato completa da cantora e figurinista Verônica Melhem, clicando aqui