Um ciclista de 43 anos, que seguia para casa, morreu na noite desta segunda-feira no quilometro 130 da Linha Verde, nas proximidades do Hospital Erasto Gaertner, no bairro Jardim Botânico, em Curitiba. De acordo com informações repassadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), Harrison Augusto Smaniotto seguia pela canaleta sentido Pinheirinho, em um trecho com pouca iluminação, quando acabou batendo de frente com uma viatura da ROTAM da Polícia Militar, do 12º Batallhão.

Harisson trabalhava como fotógrafo (Foto: Facebook)

O supervisor Zardo, da PRF, passou detalhes do acidente. “Foi uma colisão frontal entre a viatura e o ciclista, que vinha na contramão de direção. A viatura vinha em uma velocidade um pouco acentuada, por conta do atendimento a uma ocorrência. O ciclista ainda não tinha uma iluminação e o trecho é escuro, o que cooperou para o acidente”, disse à Banda B.

Embora o trânsito de ciclistas seja proibido nas canaletas, João Valério, que é ciclista há mais de 5 anos, comentou que a canaleta pelo baixo fluxo de veículos passa a falsa sensação de ser mais segura. “A gente tem essa sensação, porque você na rodovia passa muito perto do carro, e aqui não. Mas aqui ele estava sozinho na hora e é um local sem iluminação. Nós andamos na contramão para ver o carro vindo, porém ali era um trecho de curva”, afirmou.

Os policiais militares seguiam acompanhando um veículo roubado que trafegava com as luzes apagadas, sentido Colombo. Dentro da viatura que se envolveu no acidente estavam quatro policiais, um deles, o passageiro, teve ferimentos leves.

O supervisor operacional da PRF ainda ressaltou o perigo dos ciclistas andarem pela via exclusiva dos ônibus. “O local ideal é a ciclovia ou o acostamento. Muitos fazem uso canaleta de forma equivocada. Em momento nenhum isso é aconselhável”, orientou.

O corpo de Harisson foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba.