Secretário municipal de educação de Araucária, Henrique Teobaldi, e a jornalista Elizangela Jubanski. Foto: GB/Banda B

 

As filas nas creches de Araucária serão zeradas até o fim deste ano. A informação foi dada à Banda B pelo secretário municipal de Educação da cidade, Henrique Teobaldi, em entrevista ao Jornal Metropolitano (JM) desta semana. O secretário afirmou que uma reorganização por parte da atual administração e a inauguração de novos Cmeis (Centros Municipais de Educação Infantil) serão fundamentais para que a promessa seja cumprida.

“Nós tivemos 500 crianças sem vaga no início do ano, nos Berçários 1 e 2, já que no Maternal e no Infantil 4 e 5 não há esse problema. Estamos com cinco Cmeis em construção; um no Capinzal para ser entregue agora em fevereiro, e outros quatro na cidade, destes três ficarão prontos até a metade e um no final do ano. Isso vai suprir as 500 vagas que faltam, porque essa foi a prioridade desde o início da nossa gestão, reorganizar a Educação e permitir um atendimento de qualidade à população”, descreveu o secretário.

Além de zerar as filas, a intenção da administração municipal é ter vagas sobrando para os próximos sete anos. “Temos três licitações para resolver até o final do ano. Foi necessário anulá-las por problemas durante o processo e fazer licitações novas. Além destes oito, somando os que serão inaugurados, temos mais três que estão sendo ampliados. Isso só é possível por conta do corte de gastos feito por determinação do prefeito Hissan”, explicou Teobaldi.

Ainda sobre a educação infantil, o secretário comentou que uma reorganização no preenchimento das vagas também está fazendo a diferença. “Antes tínhamos muita duplicidade de crianças inscritas para vários lugares e pessoas que não eram da cidade. Agora, nós reorganizamos isso e estamos fazendo com que as vagas sejam devidamente preenchidas. Estamos fazendo tudo pelo CPF das crianças”, salientou.

Escolas municipais

Nas escolas da rede municipal de ensino, para as crianças ‘mais velhas’, a principal proposta feita pela administração municipal é na questão pedagógica. “Propomos para os professores pesquisarem sobre sua prática de ensino, planejando uma intervenção pedagógica sobre o que a criança deve aprender. 20% dos professores participaram e isso traz uma mudança na relação do educador/professor com a criança. Tem educador que descobriu que as crianças não brincam mais de esconde-esconde, por exemplo. Entendendo como a criança pensa, vai ser possível melhorar a qualidade durante o ano letivo. É um trabalho muito interessante”, destacou o secretário.

Outra novidade é o uso do Google Educator, uma nova ferramenta de tecnologia dentro do ensino municipal. “O professor vai ter este acesso, mas no começo terá que usar de forma particular. Queremos no futuro informatizar tudo, mas é um processo que vai demorar uns cinco anos. Ainda estamos atrasados neste sentido, por isso agora estamos tomando esta linha para que isso chegue ao aluno, porque ele está a cada dia mais informatizado”, ressaltou.

Escola integral

Questionado sobre o ensino integral nas creches e escolas da cidade, o secretário falou que isso precisa ser pensando em longo prazo. “Na educação infantil, quando tiver resolvido a fila da creche, será pensando no ensino integral no Infantil quarto e cinco. Nas escolas municipais, com o novo programa Mais Educação, apenas uma escola tem o integral, porque depende de um recurso federal. O que estamos fazendo é buscar recursos para as atividades de contraturno. Já temos reforço de português e matemática, além de atividades esportivas, porque isso é importante para as crianças”, respondeu.

Isenção no transporte

Por fim, Teobaldi falou sobre a isenção no transporte coletivo para os alunos de Araucária. “Foi aprovada a isenção total aos alunos e também aos pais com filhos na educação infantil. Basta estudar em escola pública e se cadastrar, que está valendo para todos. Estamos estudando que isso seja estendido para pais de crianças entre dez e doze anos também. No total, são oito mil estudantes que utilizam o transporte gratuito, sem onerar a cidade.” concluiu o secretário.

 

O JM vai ao ar todo sábado, das 23h às 24h, e domingo, das 6h às 7h, trazendo tudo sobre o que acontece na região metropolitana de Curitiba. A apresentação é de Elizangela Jubanski e Luiz Henrique de Oliveira.