UTFPR campus Rebouças. Foto: Divulgação

 

Quatro dias após a morte de um estudante dentro de uma sala de aula, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), no bairro Rebouças, em Curitiba, informou que vai abrir um procedimento interno. Seiji Eduardo Otsuka, 59 anos, passou mal em sala e teve um aneurisma. Relatos de alunos ouvidos pela Banda B é que a enfermaria da instituição não possui atendimento eficiente e que o aparelho desfibrilador, usado em emergências, estava sem bateria para funcionamento.

De acordo com a Universidade, Senji sofreu ruptura de um aneurisma da aorta em sala de aula e os primeiros socorros foram prestados dentro do campus com o auxílio da equipe médica do convênio de ambulância. Estudantes ouvidos pela Banda B relataram que um profissional destinado à emergência não sabia realizar os primeiros procedimentos de socorro e que equipamentos estavam guardados sem bateria para utilização.

A nota da UTFPR diz que o rompimento do aneurisma foi fatal, ‘o que inviabilizou a realização de possíveis procedimentos que salvaguardassem sua vida’. Mesmo assim, a instituição se comprometeu em averiguar a situação das possíveis falhas de equipamento e pessoal relatadas na reportagem, conforme nota oficial.

Caso

Aluno do Curso de Tecnologia em Sistemas de Telecomunicações do Departamento Acadêmico de Eletrônica (DAELN), Seiji estava em sala normalmente e passou mal, na noite de sexta-feira (11). Colega de turma de Seiji há dois anos, um estudante de 28 anos disse à Banda B que correu até a enfermaria, mas a profissional da saúde teria sido morosa no atendimento e só notou a gravidade quando viu o estudante, cerca de dez minutos depois.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado por meio da Polícia Militar (PM) e realizou o atendimento. O corpo do aluno foi recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba e a causa da morte foi confirmada como aneurisma.