Esta semana vimos a notícia de mais uma operação da Secretaria de Segurança Pública para prende “presos” que estão usando tornozeleira eletrônica e descumpriram as normas pré-estabelecidas.

O que nos causa estranheza é o procedimento ser lento e ineficaz.

O preso as descumprir uma norma deveria de imediato ser preso e trancafiado numa cela, mas ao invés disso tem que ser montado um processo e depois que há uma certa quantidade de mandados de prisão, fazem uma operação.

Pode dar resultado para a mídia, mas para a população, não há nenhum.

E o que vemos são marginais circulando apenas com um monitoramento para informar onde estão e estão conectados, mas não há pelo que me consta uma delimitação de locais e horários onde podem estar, ou seja, podem ir e vir para onde quiserem no horário que quiserem, mas não são controlados literalmente.

Tanto é que já entres esses monitorados alguns já foram presos e depois se constatou que tinham participado de assaltos quando se confrontou o local do assalto com a localização e o horário onde o mesmo se encontrava.

O correto seria que o preso ao colocar uma tornozeleira, tivesse um controle de onde ele poderia estar e que horas deveria estar em casa, assim se ele saísse local pré-determinado imediatamente seria preso.

Cito como exemplo: o preso teria que passar a noite em casa das 20:00 às 06:00 da manhã; ir para o emprego e do emprego para casa, afinal essa pessoa não está livre, está custodiada pelo Estado e deveria seguir regras rígidas.

E não teria que ser informado o juiz que o preso infringiu as regras e esperar um mandado de prisão.

Teria que ser preso imediatamente.

Mas como falei infelizmente não é esse o procedimento. Para tirar dúvidas mande um e-mail para [email protected]