Essa é uma exclamação que quem a usa é porque está realmente precisando de ajuda, e quando isso ocorre, quem não tem a resposta esperada se sente desamparada.

E quando esse pedido de ajuda é para a polícia o estresse e a necessidade de uma pronta resposta deve ser rápida, mas infelizmente isso não é o que está ocorrendo.

O cidadão quando é vítima de um assaltante e liga para o 190 tem que rezar para que uma equipe seja deslocada rapidamente para o local, pois na grande maioria das solicitações a demora é grande e um bom percentual não consegue nem ser atendida pela falta de efetivo.

E se o cidadão tiver a sorte de uma viatura lhe atender é confeccionado um B.O. Boletim de Ocorrência.

A vítima que acha que está resguardada com esse documento, pode ter algumas surpresas, porque se não for posteriormente até uma delegacia, esse seu registro não irá valer de nada.

E se quiser ir em uma delegacia para registrar a ocorrência formalmente e for fora do horário comercial, nem adianta, pois apesar de sermos uma capital, a grande maioria das delegacias fecha e no plantão só atende emergências e flagrantes e o cidadão irá “perder a viagem” pois irão mandar que retorno no horário comercial na delegacia da área onde ocorreu o fato para efetivar o registro da ocorrência.

E é por isso que apesar dos órgãos de segurança apresentarem estatísticas com índices de diminuição da criminalidade, na realidade a maioria dos fatos de furtos, furtos qualificados e até mesmo de roubo não entram na estatística pois o cidadão se sente desestimulado para fazer o registro da ocorrência em virtude da burocracia, da falta de estrutura e por ter consciência de que nada será feito para lhe restituir o que lhe foi subtraído.

Por isso apenas quem tem que registrar a ocorrência por questões de seguro ou o objeto levado for de alguma empresa.

Mas apesar dessa estrutura não motivar ninguém, devemos fazer um esforço e registrar a ocorrência, pois caso contrário estaremos colaborando para incentivar o crime pois os marginais ficam impunes.

Mas nunca esqueçam que PREVENIR é sempre o melhor remédio.

E caso tenham alguma dúvida ou sugestão para matéria, envie um e-mail para [email protected]