Confronto entre policiais e servidores na Ópera de Arame – Foto: Arquivo Banda B

Vimos recentemente em Curitiba uma grande manifestação por parte de funcionários da prefeitura contra os vereadores da cidade, primeiro na sede do legislativo e depois na Opera de Arame, onde foram realizadas as seções, por uma questão de segurança.

Até aí, nada demais, a não ser que, como sempre no meio dos funcionários encontravam-se presentes marginais que se aproveitam dessas ocasiões para promoverem desordens e agredir os policiais militares que lá se encontravam, cuja única finalidade era para promover a segurança de todos.

Esses marginais que sempre aparecem nos fazem fazer um questionamento.

Esses marginais vão por conta própria, ou são financiados por pessoas ou entidades que tenham interesse em gerar confusão e desordem?

Mas o que realmente interessa e deve ser debatido, é o que ao final sempre acontece. Desordem e vandalismo!

Tenho certeza que os funcionários legítimos que lá se encontravam, com certeza não fizeram parte do vandalismo, muito menos das agressões, mas também não podemos deixar de criticar os sindicatos e seus representantes que deveriam zelar para que seus associados não fossem vitimizados durante o confronto que ao final aconteceu e que gerou 10 participantes das manifestações e 14 policiais militares feridos.

Temos que ter consciência de que a polícia é colocada para atuar nesses locais para que a ordem e a segurança sejam mantidas, e que da mesma forma que dão o devido respeito à população, também devem ter e receber o mesmo respeito daqueles que lá estão com sua segurança garantidas.

Temos em alguns locais e como é a realidade em qualquer profissão, policiais que atuam de forma irregular, mas a grande maioria são cidadãos de bem que tem como profissão integrantes da segurança pública, onde colocam diariamente suas vidas em risco em prol da sociedade que juraram defender.

Para tirar dúvidas mande um e-mail para [email protected] e para ver outras matérias, acesse www.coronelcosta.com.br