O que até a pouco tempo eram notícias referente a mortes decorrentes da briga entre traficantes com execuções a plena luz do dia, no Rio de Janeiro e em São Paulo, agora já se tornaram notícias corriqueiras em nosso Estado e, em particular, em Curitiba e na Região Metropolitana.

Há algum tempo uma execução na CIC – Cidade Industrial de Curitiba onde um homem foi metralhado em plena luz do dia e sua morte filmada por uma câmera de segurança, e agora uma jovem é executada dentro de sua casa com um tiro na cabeça e seu irmão alguns dias depois também foi morto durante uma “execução”, sendo todas essas mortes relacionadas com o tráfico de drogas.

O que me deixa perplexo é o governo do Estado ter acabado com um programa de reconhecido sucesso e de referência nacional no combate ao narcotráfico, que era o 181 NARCODENÚNCIA, o ter transformado em um programa de proteção contra a criança e o adolescentge, sendo que para esse tipo de denuncia já existe um programa nacional que é o Disque 100.

As crianças devem com certeza ter uma atenção especial, mas o que não podemos é deixar de combater o narcotráfico, pois as drogas são em síntese a maior causa de violência contra as pessoas, e as crianças e os adolescentes são um alvo cada dia mais precoce dos traficantes.

O tráfico de drogas é uma atividade criminosa e deve ser combatida com o máximo de empenho do Estado, pois mais de 80% dos crimes tem algum tipo de envolvimento com as drogas, pois eles são cometidos por pessoas que estão sob o efeito de drogas ou para conseguirem dinheiro comprá-las para o seu consumo.

E o custo social desse descaso no combate ao narcotráfico tem um peso muito grande junto a famílias que são literalmente destruídas pelas drogas, e é nossa responsabilidade e dever cobrar do Estado que intensifique suas ações contra os traficantes em defesa das nossas famílias e da nossa segurança.

E nunca esqueçam prevenir é sempre o melhor remédio. Para acessar outras dicas acesse www.coronelcosta.com.br