É comum vermos a população sempre cobrando dos governantes o aumento do efetivo na segurança pública.

A realidade é que os problemas não estão simplesmente atrelados a quantidade de policiais, mas sim no conjunto da aplicação de nossas leis.

Porém diante da situação em que se encontram nossos municípios, temos que concordar, há necessidade de se aumentar tanto o efetivo da Polícia Militar, da Polícia Civil, da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal, mas principalmente naqueles que tiveram sua população aumentada e o efetivo das polícias diminuído, o que infelizmente é em quase a totalidade deles.

Para tristeza da sociedade ordeira e cumpridora das leis e alegria dos marginais a legislação vigente propicia que os infratores se sintam “tranqüilos”, pois sabem que mesmo que sejam presos, em pouco tempo, quer seja pela quantidade de recursos previstos, quer seja pela falta de vagas nas delegacias ou nos presídios eles estarão novamente nas ruas, livres para voltar ao mundo do crime.

Nossos legisladores implantaram uma legislação que retirou as armas da população e ao mesmo tempo não conseguiram tirar as armas dos marginais, o que acabou aumentando a insegurança de forma assustadora.

Agora faço uma pergunta?

De que adianta apenas aumentar o número de policiais se o resultado de suas ações acaba geralmente da mesma forma, que é quase sempre, aqueles que são presos, saindo quase ao mesmo tempo, que os policiais das delegacias, isso quando não saem antes.

Por isso é fundamental cobrarmos uma mudança em nossa legislação, pois da forma com está, a população está sendo aos poucos “trancafiada” em suas casas enquanto que os marginais estão circulando livres pelas ruas.

Além de “endurecermos” nossas leis, temos também que cobrar dos governantes investimentos nos sistemas prisionais para que possa ser feito um trabalho de recuperação nos que lá estão, pois hoje, nossos presídios são apenas locais para esconder da sociedade os que lá estão, sem que seja feito praticamente nada no sentido de que sejam reinseridos na sociedade para a qual logo estarão sendo devolvidos ao serem postos em liberdade.

Se tiver alguma dúvida ou alguma pergunta, mande para o meu e-mail[email protected]

* O Coronel Jorge Costa Filho é consultor em segurança. Formado em Administração de Empresas, tem doutorado em Segurança Pública. Profissional experiente, já comandou a Polícia Militar em Curitiba