Com a insegurança que está a cada dia mais sem controle, o Estado cada dia mais incapacitado de propiciar uma segurança digna para a população, as polícias com efetivos reduzidos e falta de infraestrutura para fazer uma investigação decente, apesar da boa vontade de seus integrantes, as pessoas que tem condições, sempre procuram fazer um seguro para proteger ser patrimônio e em particular os Seguros de Veículos e Seguros Residenciais, pois se tem algo que choca e causa muitos traumas é constatar que seu veículo foi roubado ou chegar em casa e perceber que tudo aquilo que foi obtido com muito esforço e sacrifício, foi roubado por um ou mais marginais e que será provavelmente vendido a preços irrisórios ou trocado em muitos casos por drogas.

Mas antes de se fazer um seguro, nesse caso residencial, deve sempre se ter o cuidado de informar-se sobre o que o seguro cobre em caso de um furto ou roubo na residência e o que ele exige para poder lhe pagar o valor assegurado.

Por exemplo, joias, relógios e celulares não são cobertos pelo seguro por serem considerados acessórios.

No caso de eletrônicos tais como: televisores, computadores e vídeo games o ideal é ter as notas fiscais, manuais ou caixas, pois se não conseguir comprovar a compra ou a posse dos objetos roubados, com certeza irá ter um prejuízo ainda maior, pois independente de ter pagado o seguro, poderá não ter em sua totalidade o valor do seguro creditado para poder comprar o que lhe foi subtraído.

Ao fazer o seguro, verifique a viabilidade de fazer uma lista com todos os bens e os fotografe, mas veja se tal providencia em caso da falta de nota é aceito pela seguradora e se for faça com que isso conste no contrato que for assinar.

Apesar de ser menor a incidência do roubo de objetos maiores tais como geladeiras e fogões, os cuidados devem ser os mesmos.

Mas independente te fazer um seguro, nunca esqueça que prevenir é o melhor remédio e que um bom sistema de alarme com cerca elétrica e câmeras de monitoramento ajudam, porém, só será eficiente se todos os moradores criarem a rotina de sempre ao saírem ligarem o alarme, pois alarme desligado de nada adianta.

Se tiver alguma dúvida ou alguma pergunta, mande para o meu e-mail[email protected]

* O Coronel Jorge Costa Filho é consultor em segurança. Formado em Administração de Empresas, tem doutorado em Segurança Pública. Profissional experiente, já comandou a Polícia Militar em Curitiba