A situação da segurança está tão precária, que no Rio Grande do Sul marginais presos assinaram um manifesto para criar um código de conduta entre eles. A intenção é diminuir algumas ações decorrentes de brigas entre marginais pelo controle de pontos de tráfico.

Aumentou e muito o núumero de mortes seguidas de esquartejamento e do assassinato de familiares de traficantes.

A medida orienta para que se “matarem” alguém, devem evitar ações complementares como o esquartejamento, e caso venham a entrar em disputa pelos pontos de tráficos se da mesma tiverem que “matar “ o traficante concorrente, não tem problema, mas não devem envolver os familiares na briga, ou seja, não devem matar os memos.

Isto que narrei parece uma piada de mal gosto, mas é a realidade e para deixar mais grotesca tal iniciativa, a mesma como identificada foi feita por marginais que se encontram em presídios, o que mostra a rede de comunicação existente entre eles e com os marginais que se encontram soltos.

Apesar de tal fato ter ocorrido no Rio Grande do Sul, no Paraná também não está muito diferente, tanto é que a alguns meses uma garnde operação policial desencadeda pela Secretaria de Segurança Pública para o cumprimento de quase 1.000 mandados de prisão, quase metade dos mesmos foram cumpridos dentro de presídios, pois apesar de estarem presos e cumprindo penas sobre a tutela do Estado, os marginais continuavam a comandar de dentro dos presídos, o crime organizado.

A entrada de celulares e drogas nas delegacias e nos presídios é algo corriqueiro e praticamente sem controle, pois a esdtrutura existente não dá condições para que tal controle seja realizado e os agentes penitenciários e os carcereiros não tem estrutura nem condições para executar um trabalho sério para combater tal ilicitude.

E nunca esqueçam que PREVENIR é sempre a melhor opção.

Para ver outras matérias, acesse www.coronelcosta.com.br