É comum vermos reportagens relatando aposentados que caem em golpes de empréstimos.

Como acontece???

Os golpistas ficam sempre nas proximidades das agências do INSS ou das empresas que fazem empréstimos consignados onde ficam distribuindo cartões e panfletos com a informação de que, conseguem anular dividas antigas e conceder novos empréstimos.

Os aposentados como podem comprometer apenas 30% do salário com empréstimos, ao chegarem nesse limite não conseguem mais realizar novos empréstimos, e aí que começa o golpe, pois a informação que recebem é de que será bloqueado na justiça o descontos dos empréstimos atuais e que o aposentado só irá pagar um valor muito menor do que está pagando no momento. Com essa informação, reforçada pela vontade e necessidade de um novo empréstimo o aposentado é induzido a ir a um escritório onde assina uma procuração para um advogado e o mesmo entra com uma liminar solicitando a revisão dos valores contratados e caso seja a mesma aceita pelo poder judiciário, o desconto é suspenso e a margem de consignável é novamente liberada possibilitando a realização de um novo empréstimo.

Nessa fase do golpe, o advogado recebe sua comissão, que é paga com o dinheiro do novo empréstimo e abandona o caso e sem acompanhamento o processo judicial fica abandonado e em pouco tempo “cai” a medida limiar e o antigo empréstimo volta a ser cobrado, ou seja, o aposentado acaba com um desconto que pode chegar a 60% de seu salário, pois além dos descontos anteriores também estará com os descontos do novo empréstimo.

Os “alvos” preferidos são os aposentados e servidores públicos com empréstimos bancários consignados, ou seja, com as parcelas sendo descontadas no contracheque.

Assim, quem está com o orçamento comprometido, independente das necessidades que estiver passando, não acredite em promessas feitas no meio da rua. Procure se informar com alguém da família antes de assinar qualquer documento, pois infelizmente apesar de ser um golpe, quem fizer o empréstimo terá que pagar, pois recebeu o dinheiro.

Por isso cuidado, é muito melhor economizar do que emprestar mais dinheiro, pois o final é sempre o mesmo, a divida aumentando e o dinheiro do salário diminuindo.

Se tiverem alguma dúvida ou alguma pergunta, as encaminhem para o meu e-mail[email protected]

* O Coronel Jorge Costa Filho é consultor em segurança. Formado em Administração de Empresas, tem doutorado em Segurança Pública. Profissional experiente, já comandou a Polícia Militar em Curitiba.