Não é de hoje que as informações chegam até nós sobre o aumento de temperatura do clima. Certamente precisamos filtrar as informações.O fato é que quando os dados são reais,baseados em estudos de confiança,certamente temos que nos preocupar.A questão não é apenas o aumento em si,mas principalmente no efeito que pode trazer ao Planeta.

A temperatura global aumentará 3,6° C em longo prazo, a menos que os governos revisem seus objetivos para combater as mudanças climáticas, declarou nesta terça-feira (12) a Agência Internacional de Energia (AIE) em um relatório que coincide com a realização da cúpula da ONU sobre o clima, em Varsóvia.

onu terraGeleiras estão derretendo – Foto: ONU

No cenário traçado pela AIE, a agência de energia dos países desenvolvidos, as emissões de gases do efeito estufa relacionados com a energia, e que representam cerca de dois terços das emissões totais, aumentarão em 20% até 2035, se implementadas as metas atuais anunciadas pelos Estados.

“Este cenário leva em conta o impacto das medidas anunciadas pelos governos para melhorar a eficiência energética, apoiar as energias renováveis, reduzir os subsídios aos combustíveis fósseis e, em alguns casos, definir um preço para o CO2″, explica a AIE em seu relatório anual apresentado em Londres.

A agência alerta que o aumento de 20% destas emissões “energéticas” (causadas principalmente pela queima de carvão e petróleo, mas também de gás) “colocará o planeta em um caminho coerente de um aumento médio da temperatura em longo prazo de 3,6° C, bem acima da meta de 2º em nível internacional”.

16 bilhões de litros de petróleo ao dia – A agência também publicou nesta terça suas previsões para o consumo mundial de petróleo até 2035, quando serão consumidos cerca de 101 milhões de barris por dia (mbd), um aumento de cerca de 14 mbd em um quarto de século. Isso significaria um consumo de 16,1 bilhões de litros de petróleo por dia.

No que se refere ao carvão, o mais poluente, mas que continua a ser a principal fonte de energia dos dois países mais populosos (China e Índia), a AIE prevê um aumento no consumo de 17% até 2035

Crescimento das renováveis

Apesar deste panorama desolador, a agência prevê um desenvolvimento significativo das energias renováveis, especialmente a energia elétrica, e prevê que em 2035 este tipo de energia será responsável por 30% do total consumido.

No relatório, a AIE cita quatro pistas para melhorar a “competitividade da energia”, mas sem afetar negativamente o crescimento econômico: melhorar a eficiência energética, limitar usinas a carvão ineficientes, minimizar as emissões de metano de petróleo e gás e reformar os sistemas de subsídios às energia fóssil, o que em alguns países deprimem artificialmente os preços.

A publicação deste relatório coincide com a 19ª conferência climática da ONU em Varsóvia, onde 190 países discutem esta semana as bases para um grande acordo para limitar as emissões de gases do efeito estufa para que a temperatura não suba mais de 2° C, a ser assinado em Paris, em 2015. (Fonte: Globo Natureza)

Desta forma é preciso que todos se unam em prol de uma mudança de comportamento.Não esta apenas nas mãos dos governantes,mas de todo cidadão brasileiro.Mãos a obra em busca de pequenas atitudes que podem certamente ajudar a reduzir este cenário.

* Evandro Razzoto é professor da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), consultor e palestrante ambiental. Além disso, escreveu o livro Eco Sustentabilidade: Dicas para tornar você e sua empresa sustentável, em que fala principalmente sobre como conciliar os três pilares da sustentabilidade (crescimento econômico, responsabilidade social e preservação ambiental) na gestão e marketing das empresas