As construções verdes a cada dia tornam o ambiente das cidades uma realidade. Além do grande apelo do Marketing Verde, empresas investem em busca de economia de água, energia,além da mudança de conceito, cultura e até mesmo do ponto de vista arquitetônico. Se não bastasse isto, a conscientização e a escassez de matéria prima levam empresas do ramo da construção civil a tal mudança.

No Brasil algumas empresas investem neste cenário. Um exemplo de uma empresa neste segmento é a Tecverde. Empresa formada por jovens curitibanos que tem atuado com construção de residências com o sistema Wood Frame. Oportunamente trago em um artigo somente sobre estas casas. Mas o importante é ressaltar que este mercado cresce a cada dia, tornando os ambientes inteligentes, reduzindo custos com água,energia e gás. Além do conforto termoacustico.

World_OneWorld One, em Mumbai

Outro exemplo é o de Mubai, que vive um boom de prédios verdes. Quando for inaugurado, em 2015, o World One, em Mumbai, na Índia, será o maior prédio residencial do mundo, com altivos 442 metros de altura. Mas, talvez, o seu maior mérito, seja outro – o edifício será erguido dentro dos padrões da construção ecológica.  A torre é o exemplo mais expressivo do boom de prédios verdes na cidade indiana.

Mumbai tem o maior número de empreendimentos com credenciais sustentáveis em construção no país – um saldo de projetos em andamento 60% maior comparado a Delhi e Bangalore, que ocupam, respectivamente, o segundo e o terceiro lugar no ranking divulgado pelo Green Building Council India (IGBC).

A lista tem seis cidades, incluindo Pune, Hyderabad e Chennai. Mumbai, sozinha, tem 319 projetos pleiteando o selo de construção verde Leed, de acordo com o IGBC. Delhi aparece com 199 projetos, seguida de Bangalore e Pune, com 198 e 197, cada.

No total, a Índia conta com mais de 2.111 projetos de construção verde registrados junto ao IGBC, o que coloca o país entre as cinco nações com mais projetos dessa natureza no mundo.

A demanda do consumidor por esse tipo de edifício e a crescente evidência de que eles conferem vantagens de mercado quantificáveis – que vão da economia de energia e corte de custos operacionais à valorização imobiliária – contribuem para a alta desse mercado, que também vive um bom momento no Brasil. (Fonte: Exame.com)

Desta forma é importante ressaltar que é preciso repensar o conceito sobre este tema e buscar a cada dia uma junção entre tecnologia e bem estar.Em busca do desenvolvimento sustentável poderemos construir uma história diferente em nossa sociedade.

* Evandro Razzoto é professor da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), consultor e palestrante ambiental. Além disso, escreveu o livro Eco Sustentabilidade: Dicas para tornar você e sua empresa sustentável, em que fala principalmente sobre como conciliar os três pilares da sustentabilidade (crescimento econômico, responsabilidade social e preservação ambiental) na gestão e marketing das empresas.