Rodovia Rio Santos com energia solar – Foto: ER

Eis um tema tão discutido e pauta de muitos políticos nas últimas eleições. Muitos estudantes produzem teses sobre o tema, reportagens nas mídias e tantas outras proposições sobre o tema. Toda vez que algum aluno, amigo e afins falam do tema eu me preocupo pela teorização do tema. Além disto, para a população de forma geral, que benefícios podem gerar a energia solar, em especial a fotovoltaica.

Pois bem, em primeiro lugar vamos aos fatos. Vários países já utilizam a energia solar como fonte inovadora de energia. Alguns pela falta de energia hidrelétrica e outros tantos pela forma inteligente, mais barata e de menor impacto ao meio ambiente. A França lançou recentemente a primeira estrada solar do mundo, onde os painéis são colados no asfalto. Na Alemanha, país que tenho como a maior referência do mundo, as cidades possuem inteligência e eficiência energética, onde todos os estabelecimentos públicos, inclusive a iluminação pública é solar.

No Brasil, temos ainda poucos exemplos desta natureza. A Rodovia Rio Santos, possui 72 quilômetros com postes de energia solar. Sem dúvida um projeto interessante. Não irei falar dos defeitos e muito menos o por que de ser numa rodovia, mas o fato é que é sem dúvida inovadora. Meu sonho e sem dúvida projeto de que possamos em nossas cidades, prédios públicos, parques e praças, escolas, universidades e afins possuirmos uma energia mais limpa e barata. Obviamente que temos os fatores relacionados aos custos e que a lei, com incentivos e ou redução dos impostos, fomentarmos este cenário.

Por que não citarmos Curitiba, uma cidade que já foi tão inovadora e que não possui políticas públicas e ações desta natureza. É preciso inovar, sem amadorismo, sem teorias, mas sim com profissionalismo, experiências internacionais e que gerem benefício a natureza, ao meio ambiente, econômica, inteligencia e sustentável.

É preciso utilizar a inovação e a tecnologia a favor de coisas boas que gerem benefícios para as pessoas e consequentemente ao planeta. Vamos pensar de forma inteligente, inovar e ousar de forma responsável.Será que estamos prontos para sermos sustentáveis?

* Evandro Razzoto  é coordenador de Ciência e Tecnologia da SETI – Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Governo do Estado do Paraná. Professor da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), consultor e palestrante ambiental. Além disso, escreveu o livro Eco Sustentabilidade: Dicas para tornar você e sua empresa sustentável, em que fala principalmente sobre como conciliar os três pilares da sustentabilidade (crescimento econômico, responsabilidade social e preservação ambiental) na gestão e marketing das empresas