(Foto: Arquivo/Pixabay)

 

Hoje é a segunda parte da jornada (que aliás poderia ter mais umas dez, mas não vou fazer isso com você, afinal sou uma apaixonada pelo empreendedorismo e sei que você não tem tanto tempo assim).

Voltando aos fatos, como criar um filho, no início do seu negócio você passará muitas noites sem dormir, ficará preocupado com caixa $, clientes, produtos/serviços, necessidade de se desenvolver, fazer cursos e treinamentos, vontade de fazer muito sucesso e também medo de crescer demais (sim, esse medo existe, seja no seu consciente ou no inconsciente, e as vezes ele é perigoso – falamos disso outro dia se vocês quiserem).

E como já mencionamos o início da jornada na Parte 1, vamos direto ao que acontece lá entre os 3 e 5 anos, nessa fase geralmente seu bebê já começa a ir para escola, e não que seja fácil, mas você pode ter mais tempo, ao passo que tem a sensação de saudade de ter seu filhote o tempo todo pertinho.

Na empresa é uma fase que as coisas também já estão um pouco encaminhadas (graças a Deus), e você já está adaptado ao novo negócio, e pode começar a ter um pouco mais de tranquilidade. Agora atenção, tranquilidade mas estando sempre atento às necessidades do seu mercado e cuidando para se manter atualizado. Pode fazer cursos, treinamentos e se preparar para seguir os caminhos da expansão (ou não, tem pessoas que decidem ficar apenas naquele patamar, e está tudo bem, vai do índice de desafio interno de cada um).

Daqui para frente cada ano do seu bebê traz suas peculiaridades, desafios e com certeza muitas felicidades. A cada ano ele se torna mais independente, mas, como meus pais sempre dizem, nunca deixará de ser seu bebê. E cada fase será de uma forma diferente, com aprendizados constantes e também muitos altos e baixos.

Ter sua própria empresa desenvolve de forma bastante semelhante mesmo, a cada fase do negócio surgem novas necessidades, desafios que deixam a adrenalina em alta (alguns geram muito estresse), e se bem cuidada, respeitadas as exigências do empreendimento e do mercado. Desta forma ela construirá uma base firme e permitirá crescer e expandir, e sim, ter muuuuuita lucratividade (afinal ninguém abre uma porta para viver de sorrisos, dinheiro é necessário para viver, é parte do negócio e traz bem, sempre que bem utilizado).

E Deus ajude que você ganhe muito dinheiro, gere muitos empregos, e assim pode até criar um programa para ajudar as pessoas a terem mais oportunidades, que acha? Para concluir o paralelo com a criação de um filho, quando você sentir que já está craque no que faz, provavelmente vai começar a pensar em aumentar a família, afinal um empreendedor precisa gostar de desafios, pois essa vida nunca deixará de ser repleta de subidas, algumas decidas, buracos no caminho, temporais, sol, neblina e
também é claro, de dias perfeitos repletos de prazer e felicidade.

Uma coisa é certa, com certeza se você escolher criar sua empresa com amor, atenção e se importando com quem recebe seu produto ou serviço, com certeza passará por desafios, mas no final de cada um deles sentirá em seu coração que valeu a pena.

Gostou desse artigo? Manda um e-mail contando para mim, quero ouvir a sua opinião. Pode enviar também sua dúvida ou comentário, quem sabe posso fazer dela o tema de um artigo do blog!

Me acompanhe e empreenda sua vida.
Contato: [email protected]
Instagram: @isabellefeichas

#EmpreendaSuaVida #Empreendedorismo #EmpreendaComBrilho #Empresa
#Negocios #Novo #Familia #SuaEmpresa