• Por Yasmine Hernandes, psicóloga
Foto do Blog Sempre Materna

Conforme mencionado no ultimo texto “vamos falar sobre as mordidas?” . Esse ato pode ser visto como uma forma de expressão das crianças que se encontram na educação infantil. Hoje, seguiremos com o tema que traz muitos pontos de interrogação aos pais, responsáveis, cuidadores e educadores.

Quais estratégias podemos utilizar para que a criança encontre outras formas de se expressar? Podemos mencionar como um ponto de partida para o adulto que interage com esta criança, a segurança emocional, buscar com uma conversa tranqüila entender o porquê da mordida. É indispensável tambem, observar as situações nas quais as mordidas ocorrem. Nestas situações, é importante demonstrar que o educador/adulto também é aquele que transmite regras e fala com firmeza no que se refere aos combinados feitos junto à criança.

De acordo com Venezian, Oliveira e Araujo (2009), assim como há atitudes que podem ajudar a criança, há aquelas que podem prejudicar: expor a criança dando bronca na frente de todos pode deixá-la mais nervosa e talvez mais agressiva; deixar a criança com o brinquedo se ela o adquiriu injustamente (pela mordida); incentivar a dar o troco.

Para que entendam melhor, podemos compreender a boca como o orgão que a criança pode mostrar aquilo que deseja, seja pelo choro, pelo grito, pela recusa de alimento ou pela mordida. E o grande segredo, está na escuta e na observação (neste caso, da mordida), que poderá até mesmo contribuir para o alcance da fala.

Tais condutas, quando colocadas em prática, nos permitem entender melhor a criança. E o olhar para este ato tão corriqueiro (a mordida), nos traz informaçoes valiosas a respeito de nossos pequenos.

*Sobre o blog:

O Blog Cotidiano em foco é feito pela equipe da INTEGRALLE formada pelas profissionais :

Ana Valéria Souza
Fonoaudióloga
CRFa 7370-PR
Formada pela PUC-PR
Fonoaudióloga Clínica desde 2000 atuando com intervenção nos distúrbios da comunicação.
Fonoaudióloga Educacional desde 2008 desenvolvendo projetos de prevenção, triagens, formação de professores e orientação aos pais.
Premiada pelo Sindicato das Escolas Particulares do Paraná pelo projeto “Crescendo e Aprendendo”(2015)

Profissionais da Integralle

Yasmine Hernandes David João
Psicóloga
CRP-08/24131
Formada pela Universidade Positivo
Psicóloga clínica, trabalha com crianças e adolescentes.
Atua com transtornos geralmente diagnosticados pela primeira vez na infância ou adolescência.

Marini Fussek
Fonoaudióloga
CRFª 4047
Especilista em Linguagem
Especialista em Distúrbios da Comunicação
Neuropsicopedagoga
Mestre em Educação
Fonoaudióloga clínica
Professora de Pós Graduação

A equipe INTEGRALLE – Centro de Atendimento Terapêutico e Educacional, oferece:
– Atendimentos clínicos
– Grupos focais
– Grupos de orientação e atualização do conhecimento
– Palestras
-Capacitações
– Público: pais e familiares, Escolas, educadores, acompanhantes terapêuticos, profissionais e estudantes da área da saúde e educação.