Ilustração da Fundação Promenino

O início da vida de uma criança e seu desenvolvimento muito se deve às brincadeiras. Podemos falar por horas sobre esse tema que traz vastas oportunidades de exploração do mundo.

Em idade precoce, é necessário que se aprenda sobre a vida através de brincadeiras. Essa é a forma mais eficaz de ajudar as crianças pequenas a aprender como compartilhar suas experiências com outras pessoas.

O simples ato de brincar oportuniza a criação de vínculo, traz possibilidades para a socialização, além de oferecer experiências sensoriais (o que se vê, escuta, toca e cheira), abrindo portas para o desenvolvimento cognitivo e emocional.

O processo do lúdico trabalha a expressão corporal, as emoções, o contato visual, a comunicação (verbal e não-verbal), o prazer em trocar com o outro, dentre outras facetas do desenvolvimento. Como exemplos mencionarei simples brincadeiras, que muitas vezes não pensamos em suas reais possibilidades de estimulação.

1. Brincar com instrumentos infantis (plástico) – com esse pequeno artifício podemos trabalhar o contato visual, a imitação, a socialização (minha vez, sua vez), e muitos outros aspectos;

2. Tornar lúdico os momentos diários– trabalhar as partes do corpo, a imitação, expressões faciais, no espelho. Utilizar o momento do banho e de vestir-se também para trabalhar as partes do corpo, o reconhecimento de objetos e a estimulação sensorial;

3. Brincadeiras ou jogos em grupo – são ótimas possibilidades, pois possuem combinados e distribuição de tarefas para cada participante desempenhar, e são formas que estimulam a capacidade de atenção, o planejamento de estratégias, a coordenação dos movimentos para se organizar no espaço e no tempo. Exemplos: pega-pega, lenço atrás, batata quente e dança da cadeira.

Viram como é fácil? Podemos utilizar esses simples momentos para dar grandes oportunidades ao desenvolvimento dos pequenos