Imagem ilustrativa

Seria de fundamental importância que nosso país oferecesse práticas públicas eficientes que pudessem oferecer Intervenções Primárias, ou seja, medidas sócio-educativas e de saúde que favorecessem toda a população evitando a instalação de transtornos intelectuais ou sensoriais que limitam a aprendizagem, a socialização e a autonomia dos indivíduos na vida adulta. Ao buscar por esse perfil de atendimento pude identificar que Curitiba dispõe de alguns serviços de diagnóstico, atendimento e monitoramento da população de risco para deficiência.

O Teste da Orelhinha é oferecido nas maternidades e é de grande importância para o diagnóstico da Deficiência Auditiva, contudo crianças em idade escolar que apresentam problemas de comunicação e aprendizagem devem passar por investigação auditiva. Esses exames são oferecidos na rede pública e também nas universidades. A identificação da perda auditiva exige tratamento medicamentoso ou nos casos de perdas auditivas neurossensoriais a protetização (uso de aparelhos amplificação sonora). Esse aluno precisa de ajustes curriculares e ações educacionais inclusivas conforme descrito na lei de Diretrizes e Bases de Educação-MEC.

No caso dos transtornos mentais como Rebaixamento Intelectual ou Autismo, é importante buscar o apoio de equipes multiprofissionais. Alguns serviços públicos dispõem de profissionais das diferentes áreas da saúde que avaliam e propõe um trabalho de orientação e estimulação das funções cognitivas, lingüísticas e intelectuais.

A informação e o conhecimento são meios de conquistar o diagnóstico precoce e os efeitos dos transtornos possam ser minimizados. Ações preventivas e de intervenção tornam-se mais eficientes por meio da parceria entre a comunidade e o poder público. O objetivo deve ser enfraquecer os fatores de risco e potencializar os fatores de proteção à saúde infantil.

*Sobre o blog:

O Blog Cotidiano em foco é feito pela equipe da INTEGRALLE formada pelas profissionais :

Ana Valéria Souza

Fonoaudióloga formada pela PUC-PR.
Fonoaudióloga Clínica desde 2000 atuando com intervenção nos distúrbios da comunicação. Fonoaudióloga Educacional desde 2008 desenvolvendo projetos de prevenção, triagens, formação de professores e orientação aos pais. Premiada pelo Sindicato das Escolas Particulares do Paraná pelo projeto “Crescendo e Aprendendo”(2015).
CRFa 7370-PR.

Marini Fussek

Fonoaudióloga, Especilista em Linguagem, Especialista em Distúrbios da Comunicação, Neuropsicopedagoga, Mestre em Educação, Fonoaudióloga clínica, Professora de Pós Graduação.
CRFª 4047.

Yasmine Hernandes David João

Psicóloga formada pela Universidade Positivo.
Psicóloga clínica, trabalha com crianças e adolescentes. Atua com transtornos geralmente diagnosticados pela primeira vez na infância ou adolescência.
CRP-08/24131.