Gustavo Fruet: de volta ao legislativo.

O ex-prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), cansou de citar Fernando Pessoa e, especialmente, verso do poema “Lisbon Revisited” quando ainda era um postulante à prefeitura rejeitado pelas siglas que o tinham como filiado (PMDB e, depois, PSDB). “Que vão ao diabo sem mim”, dizia em entrevistas de toda sorte.

A VERSÃO DO HOMEM… SEGUNDO O DIABO

Agora, candidato a deputado federal, retorna ao reduto onde concentram-se espécies da melhor versão do homem, segundo o diabo. Eis o político.

TAL PAI, TAL FILHO

Fruet notabilizou-se na CPI dos Correios, ainda no governo Lula, mas tinha obsessão pela prefeitura de Curitiba, não só por ser este um cargo executivo, mas porque, assim, repetia a sina do pai, Maurício Fruet, ele mesmo um prefeito da cidade.

PREGADOR DE PEÇAS

Em seu escritório, nos arredores da praça Rui Barbosa, Fruet, o pai, exibia nas paredes charges emolduradas, cujo personagem principal era ele mesmo. Maurício Fruet gostava de pregar peças, de imitar colegas e de caricaturar em profusão suas ações administrativas. E todos em seu entorno se divertiam. A cidade, nem tanto.

AGRADAR A ESTE E AQUELE

O filho, Gustavo, tentou lhe seguir o rastro, mas sempre pareceu disperso demais e político de menos (no sentido de agradar a X e Y) no quesito comunicação. Sem a matraca a anunciar-lhe os bons ventos, sua administração foi a pique, como fora antes a nau capitânia de Rafael Valdomiro Greca de Macedo.

COM MANDATO

Fruet quer voltar à Câmara de Deputados agora porque é a alternativa que lhe resta. Governador, jamais. Senador, improvável. Se a prefeitura do improvável Rafael Greca fracassar, ele tenta a sorte como candidato a prefeito em 2020, mas desde que a segurança do mandato lhe garanta a aventura.

UM INCONVENIENTE

Maurício Fruet: político que não modelou o filho.

O ex-prefeito poderia estar tentando conquistar votos em outra legenda que não o PDT. Seria um alívio fugir da sombra de Ciro Gomes, porém as mudanças de partido sempre lhe significaram um inconveniente. Fosse por ele estaria até hoje no PMDB, mas havia um Requião no caminho. Assim como Rafael Greca, o pedetista Gustavo Fruet já foi um campeão de votos (bateu na casa dos 200 mil na eleição à Câmara dos Deputados), mas não se espere um repeteco. Greca, em seu purgatório, minguou a 50 mil votos na eleição a deputado estadual e depois nem isso. Renasceu como a Fênix em uma prefeitura que, aos olhos do curitibano, Fruet deixara em cinzas.

ANO SABÁTICO

Há de se supor que, depois de ano sabático, Fruet esteja disposto a construir a carreira política, avaliar erros e acertos, e reconquistar o voto que perdeu já no primeiro turno, quando da campanha à reeleição em 2012.

Tudo bem, que os eleitores mandem os políticos ao diabo. Mas não com ele.


PICLER GANHA HOMENAGEM QUE ACP CONCEDE A NOTÁVEIS BRASILEIROS

Professor Wilson Picler: colhendo frutos de trabalho diferenciado

Enfim, Curitiba começa a reconhecer que o professor e empresário Wilson Picler está no rol dos seus cidadãos mais relevantes. Essa é uma realidade que eu intuí já em 2009, quando o fiz personagem de meu livro Vozes do Paraná (volume 2).

A vida e obra desse “gigante” que espalha educação e cultura a pelo menos 250 mil estudantes universitários brasileiros serão dissecadas nesta quinta, 5, às 19 horas, quando a Associação Comercial do Paraná vai entregar-lhe o título Cidadania ACP.

Na sede da ACP, o presidente da Associação, Gláucio Geara vai entregar a distinção ao presidente do grupo educacional Uninter.

TAMBÉM JOAQUIM BARBOSA

A homenagem é concedida a pessoas que tenham desenvolvido notável atividade em benefício da defesa das instituições nacionais e da democracia, exercendo princípios da cidadania, direito, justiça e solidariedade.

Entre os detentores do título Cidadania ACP destacam-se Joaquim Barbosa ex-ministro do STF, Miguel Krigsner presidente do Grupo O Boticário, Olivier Murguet, ex-presidente da Renault Brasil e Luiz Carlos Hauly deputado federal, entre outros.

Admite-se que pelo menos 500 mil pessoas tenham sido diplomadas pela Uninter, em graduação e pós, ao longo de sua existência, começada no final dos 1990.

ANOTE E COMPAREÇA:

Data: 5 de abril (quinta-feira)
Hora: 18h30min
Local: Edifício Barão do Serro Azul, sede da Associação Comercial do Paraná- 8º anda- Sala Magna


TEMPO DA JANELA VAI SE ESGOTANDO, COM NOVAS ADESÕES

Ademir Bier: aderiu ao PSD; Mauro Moraes: muda de bandeira; Silvio Barros: o “maitre a penser” de Cida.

No sábado, 7, fecha-se a chamada janela partidária, tempo final para a troca de legendas por parlamentares sem que percam seus mandatos.

Assim, Ricardo Barros amplia o portfólio do PP, formando uma enorme aliança de partidos em torno do governo e da candidatura de Cida Borghetti.

Osmar Dias, um candidato bem traquejado em eleições e com currículo precioso, não tem noticiado adesões à sua campanha, bem ao contrário do que acontece com Ratinho Junior.

Nesta quarta, 4, o presidente do PSD-PR recebeu pela manhã, no escritório em que atende, na sua Rádio Massa, em Santa Felicidade, a adesão do deputado Ademir Bier, que deixou o PMDB, de que era histórico membro, para ingressar no PSD presidido por Ratinho Junior no Paraná.

“A adesão de Bier é uma pule de dez”, disse à coluna um assessor do candidato ao Palácio Iguaçu, lembrando a longa “e muito fértil” tradição política de Bier: foi prefeito de Marechal Cândido Rondon e está no quinto mandato de deputado estadual.

REINA OTIMISMO

Se uma campanha governamental move-se muito pelo otimismo que reina dentro dela, a de Ratinho Junior sugere estar indo bem. O grupo ainda celebra a entrada de Cristiane Yared ao PSD. Ela nunca escondeu sua intenção de ser candidata ao Senado; e também de Norberto Ortigara, ex-secretário de Agricultura.

Por ora, o grupo que trabalha com o candidato do PSD evita sequer especular nomes de possíveis candidatos ao Senado e a vice. Uma possibilidade, no entanto, o staff não nega: Ratinho tende a escolher para vice um empresário, como alguém do agronegócio, de preferência parte das cooperativas.

‘staff’ de Ratinho Junior mantém-se discreto. O mais notável e visível deles é o deputado federal Reinhold Stephanes, que coordena o plano de Governo.

CARAVANA PROGRESSISTA

O PP de Cida Borghetti tem a sua Caravana Progressista, em que avulta presença de Silvio Barros, ex-secretário de Planejamento de Beto Richa, ex-prefeito de Maringá, um dos mais bem articulados e frutíferos gestores públicos paranaenses dos últimos anos.

Silvio, Cida e Ricardo Barros passaram o domingo definindo as grandes linhas mestras do governo de Cida e também de sua campanha ao governo.

Na Caravana Progressista, o Paraná, suas possibilidades e carências foram ouvidos pela opinião de lideranças de todo o Estado.

O PSD de Ratinho Junior desenvolve trabalho parecido, o Espaço Democrático, que compreende a ida de Ratinho Junior, quase sempre acompanhado de pelo menos 8 deputados, em visita às cidades-polo das microrregiões. Até agora foram visitadas 18 cidades; o número de cidades-polo é 22, mas a intenção do candidato é levar o debate de seu plano de governo a pelo menos 30 delas.

ADESÕES FINAIS

A equipe de Ratinho Junior estima que o candidato conseguirá, até sexta,6, contabilizar a frente PSD-PSC com 18 deputados estaduais apoiando o pré-candidato. Um dos derradeiros será o deputado Mauro Moraes, que deixará o PSDB para filiar-se ao PSD.


GARANTIDO UM GOVERNO SEM “SUSTOS” PARA CIDA

Ricardo Barros: articulação na AL; Anibelli Neto: um aliado natural.

Goste-se ou não de Ricardo Barros, uma verdade sobre ele é inquestionável: tem o dom da articulação, a capacidade de aglutinar políticos e legendas em torno de seu partido, o PP.

Agora, o ex-ministro da Saúde exibe redobrado vigor na articulação pró-governo de Cida Borghetti. Na terça-feira, por exemplo, passou a tarde toda na Assembleia Legislativa, reunido com deputados de diversos partidos.

MAIORIA APOIARÁ

Ao final do dia, saiu satisfeito da AL, garantindo aos mais próximos interlocutores que o governo de sua mulher terá amplo apoio da maioria dos deputados.

O PMDB, por muitos enxergados como “óbice futuro” ao governo Cida, deve, com o apoio de seu líder Anibelli Neto, marchar junto com a governadora.

Na verdade, Cida e Anibelli Neto construíram sólido relacionamento político ao longo do tempo em que ela foi deputada estadual.


AVANÇANDO O SINAL

Candidato e a rodada de chope

Alertas a candidatos de primeira viagem não faltam, sobre exigências da Lei Eleitoral que vedam campanhas antecipadas. Mesmo assim, alguns deles foram identificados por avaliadores do quadro político como ‘burladores sistemáticos da lei’.

Um deles chega a combinar em rede social, rodada de chope com seus cabos eleitorais. Tudo dito e escrito sem meias palavras.


TRÂNSITO É O QUE MAIS MATA CRIANÇAS NO BRASIL

Criança com cinto de segurança

Os acidentes que mais matam crianças no país são queda, afogamento, sufocação, queimadura, envenenamento e trânsito. De todos, o trânsito é o maior ofensor. De acordo com dados da ONG Criança Segura, entre 2014 e 2015, houve uma diminuição desses casos e os óbitos passaram de 1.654 para 1.389 – o que representa uma redução de 16%.

ALTA ASSUSTADORA

No entanto, apesar desta redução, os sinistros em ruas, estradas e rodovias ainda são o tipo de acidente que mais provoca mortes acidentais de crianças até 14 anos no Brasil. As estatísticas, altas e assustadoras, podem ser revertidas com mais consciência, respeito às leis de trânsito e educação. É o que diz o especialista ouvido pela Perkons, empresa que desenvolve e aplica tecnologia para a segurança no trânsito.


FORA DO QUADRADO

O cartunista Marco Jacobsen e o ceramista Gladimir Nascimento negociam a itinerância da mostra Superfície Livre pelo Rio e São Paulo. Encerrada em Curitiba em Março, a exposição é provocação a arquitetos e construtores para que explorem as possibilidades virtualmente infinitas da azulejaria artesanal. Os vinte painéis ficaram em exibição na galeria Morphine, no bairro São Francisco, desde o fim do ano passado.

GLADIMIR NASCIMENTO

Os azulejos são de Gladimir Nascimento, Tuca Sopchenski e Flávia Erni Melara. Flávia e Gladimir foram orientados por Risolete Bendlib, formada pela Escola de Cerâmica de Buenos Aires e proprietária do Atelier Recanto do Barro, um dos principais centros de formação de ceramistas do Paraná.

Peças de cerâmica de Gladimir, Tucá e, Flávia Melara

AÇÕES SOCIAIS CONTÍNUAS NO SANTUÁRIO OBEDECEM À ONU

Padre Joaquim Parron (*)

padre Joaquin Parron

Em 2015 a ONU (Organizações das Nações Unidas) desenvolveu uma agenda visando erradicar a pobreza em todas as suas formas e dimensões até o ano de 2030. Nesse sentido, desenvolveu 17 objetivos estratégicos para atingir esta meta. Acompanhando estas diretrizes, a Associação Pró Obras Sociais, entidade sem fins lucrativos, mantida no Santuário Estadual do Rocio, promove várias ações, que estão ligadas, inicialmente, a quatro destes objetivos:

ODS 2 – Fome Zero

ODS 4 – Educação de Qualidade

ODS 10 – Redução das desigualdades e,

ODS 16 – Paz, Justiça e Instituições Eficazes

– FOME ZERO

Ligado a este ODS, a pastoral social busca cadastrar e atender famílias em vulnerabilidade social, oferecendo cestas básicas até conseguirem recuperar condições para seu sustento.

– CURSOS PROFISSIONALIZANTES

Na linha do ODS “Educação”, o Santuário oferece gratuitamente para desempregados e pessoas de baixa renda cursos profissionalizantes como Conferente de Contêineres, Logística Portuária, Introdução à informática, Programação, entre outros.

– CLUBE DE MÃES

No objetivo da ODS, redução das desigualdades, o Clube de Mães oferece vários cursos na como pintura, artesanato, crochês e outras atividades.

As mulheres aprendem a produzir e a comercializar esse material. A receita da venda desses produtos é integralmente para elas.

– FORMAÇÃO, DEBATES E PALESTRAS

Contemplando o objetivo 16, “Paz, Justiça e Instituições Eficazes”, o Santuário promove encontros de cidadania, direitos humanos, combate ao uso de drogas e várias atividades de conscientização e formação para a comunidade em geral.

O Santuário do Rocio não tem vínculo político partidário, atende pessoas de todos os credos, raças e classes sociais. Todos os serviços oferecidos são gratuitos e estão de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: contribuir para formar uma sociedade justa e fraterna.

(*) J. Parron, C.Ss.R., reitor do Santuário Estadual de N.S.do Rocio