Jogadores com a nova camisa do Paraná Clube

Esta coluna não trata de futebol, mas trata do Paraná. Para o ‘sport bretão’ às vezes confundido com brutão, há cronistas de respeito como o jornalista Carneiro Neto. Mas um “pitaco” aqui, ainda que despropositado e com um laivo de humorismo, talvez, não seja assim tão destoante.

HOMENAGEM?

Vejo a foto das novas camisas do time do Paraná divulgadas pelo patrocinador de artigos esportivos – a Topper – com o propósito de homenagear o clube pelo acesso à Série A do Brasileiro, depois de longos e tenebrosos dez anos.

POSE VALE-TUDO

Qual o problema? A foto. O tom roxo-funéreo de fundo, somado às sombras nos rostos dos jogadores e aquela pose ameaçadora de vale-tudo, lembra mais o “The Walking Dead” em sua nova temporada do que propriamente um time disposto a deixar as amargas de lado, especialmente a goleada frente ao Corinthians por 4 a 0, em plena Vila Capanema, na segunda derrota do time em dois jogos. É de chorar.

QUE TAL VIVOS QUE CAMINHAM?

A comparação com a série famosa não se faz à toa. Walking Dead significa “mortos que caminham”, zumbis no popular. O que se espera, e Carneiro Neto assinaria embaixo, é que daqui em diante, a camisa-homenagem dê um pouco de inspiração aos jogadores do tricolor paranaense. Vivos que caminham seria ótimo.


A MANIFESTAÇÃO PRÓ-LULA E O PEDIDO SUBLIMINAR

“BokinhaeLula” na manifestação

A outra imagem foi clicada pelo fotógrafo oficial de Lula, Rodrigo Stuckert, em manifestação dos apoiadores do ex-presidente acampados próximos à sede da Polícia Federal, em Curitiba.

Entre o bate-bumbo e os brados, somente inferidos não ouvidos, chama a atenção um cartaz exibido no canto esquerdo da foto por um manifestante que é correligionário ou, em carne e osso, o “Bokinha” autonomeado. O folheto, abaixo daquele que diz “Lula Livre” e de outro, simpático, escrito em cartolina, com os dizeres “Bom Dia Lula” traz a seguinte inscrição: “O cara tá voltando. BokinhaeLula 2018”.

É difícil não ver no que é um cartaz de apoio um pedido de emprego, mas não somente um emprego, uma “boquinha”, daquelas bem remuneradas, de expediente ligeiro, e de quatro ou cinco sessões de cafezinho ao longo do dia, afora as saídas ao banco que custam a tarde e, paradoxalmente, também a noite, quando os cofres estão fechados.


SECRETARIA DE PENITENCIÁRIAS SEGUIRÁ O MODELO DE SÃO PAULO

Petruska Svierkoski, presidente do sindicato

Noticiário do site do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná confirma o que a coluna adiantou: será criada uma secretaria própria para o sistema penitenciário.

“Não podemos mais seguir como apêndice de outras secretarias. Temos necessidades específicas e uma secretaria própria é uma forma de garantir que recebamos a atenção devida do Estado”, defendeu a presidente do SINDARSPEN, Petruska Sviercoski.

MODELO PAULISTA

“Vamos criar uma secretaria nos moldes do Estado de São Paulo. Dentro de alguns dias, divulgaremos o titular da pasta”, disse a governadora. O SINDARSPEN ratificou a importância de que a nova secretaria seja comandada por um profissional da carreira dos agentes penitenciários, que conheça os problemas enfrentados pelos servidores da área.

AUTOMAÇÃO

O noticiário do site dos agentes penitenciários adianta ainda:

“O estado de São Paulo também deve ser o modelo a ser seguido para a implantação da automação nas unidades penais. O SINDARSPEN solicitou que seja dado prosseguimento ao projeto iniciado no ano passado, quando o Sindicato intermediou a relação entre as gestões penitenciárias de SP e PR para que aqui fosse implantado sistema semelhante ao já adotado pelo estado vizinho, onde em 5 anos 100 unidades já foram automatizadas.”

CONTATO ZERO

“O contato zero entre agentes e presos reduz a chance de rebelião, dá mais segurança aos agentes e otimiza o trabalho dos profissionais”, defendeu a líder dos agentes.

Penitenciária de Foz do Iguaçu

CNJ PROIBE EXAME GINECOLÓGICO DE CANDIDATAS A JUÍZA

Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mandou o Tribunal de Justiça de São Paulo excluir exame ginecológico em candidatas ao cargo de juízas.

Entre os argumentos usados pelo CNJ está argumento de que alguns desses exames não poderiam ser feitos em mulheres virgens. Além de ter acatado também argumentos segundo os quais os exames feririam a dignidade da mulher.

()

CNJ PROÍBE EXAME GINECOLÓGICO (2)

“Por unanimidade, o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) determinou veto à prática do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) de pedir exames ginecológicos invasivos nos concursos de ingresso na magistratura paulista.

A ação atende a um pedido da Defensoria Pública de São Paulo, que considera a prática discriminatória contra candidatas do sexo feminino, já que nenhum exame invasivo é cobrado dos candidatos do sexo masculino.

O TJ-SP previa, em edital para seleção de juízes, que as mulheres eventualmente aprovadas teriam de se submeter a colpocitologia (Papanicolau) e colposcopia (análise do colo uterino). O tribunal justifica a exigência citando que o próprio CNJ não especifica quais exames de saúde podem ser solicitados, deixando a formulação dos critérios a cargo dos próprios tribunais locais.” (Folha de São Paulo)

Leia a coluna completa aqui