Luiz Malucelli Neto (à esquerda) e Luiz Renato Hauly (à direita) durante entrevista no Jornal da Banda B

 

Uma agricultora que precisa de financiamento para comprar duas vacas leiteiras. Um profissional autônomo, informal, que quer menos de R$ 1 mil para uma barraca de cachorro-quente ou um carrinho de pipoca. Ou o dono de uma empresa de robótica, que fatura milhões de reais. Todos esses casos têm um fator importante em comum: o apoio da Fomento Paraná, instituição financeira do Governo do Estado, que oferece crédito para empreendimentos de micro, pequeno e médio porte.

Além de atender negócios privados, a instituição também financia municípios, para obras de infraestrutura, pavimentação de ruas e construção de escolas, hospitais e ginásios esportivos. Nos últimos sete anos, a Fomento Paraná bancou mais de R$ 2,3 bilhões nessas duas áreas.

“Nós somos uma financiadora de sonhos. O nosso crédito é orientado para cada tipo de empreendedor, diferente daquele oferecido pela rede bancária tradicional. A Fomento orienta o cliente a pegar o valor exato que precisa… Nem mais, para que ele não se afogue em uma bola de neve de dívidas. Nem menos, para que não tenha dificuldade em resolver os seus problemas”, explicou o assessor de mercado da instituição, Luiz Renato Hauly, em entrevista ao radialista Geovane Barreiro, durante o Jornal da Banda B 2ª Edição desta terça-feira (12).

De acordo com Hauly, é importante ressaltar que a Fomento Paraná não financia apenas o grande empresário: a instituição tem um programa de microcrédito com baixas taxas de juros para estimular o empreendedorismo em todos os âmbitos. “É o crédito de até R$ 20 mil, para o trabalhador informal, o Microempreendedor Individual [MEI] ou o microempresário. Em qualquer um desses casos, o cliente pode pegar esse recurso para realizar um investimento fixo, como uma construção, reforma e compra de equipamentos, ou para capital de giro”, completou Hauly.

O prazo máximo para que o trabalhador possa pagar pelo financiamento de microcrédito é de 36 meses, com até três de carência. “Ao financiar os pequenos e médios empreendedores, nós contribuímos para a geração de renda e de emprego. É por isso que o Paraná cresce duas vezes mais que a média do Brasil. O microcrédito tem muito mais impacto para o cliente pequeno e informal do que R$ 100 milhões para um grande frigorífico, por exemplo”, defende.

Incentivo em qualificação

A taxa de juros do microcrédito varia de 1,87% ao mês, para o empreendedor que faz cursos de capacitação gerencial, até 2,36% ao mês, para o que não tem o curso. As taxas são variáveis, de acordo com a análise de risco de crédito do cliente.

“O governo incentiva a capacitação das pessoas. Na hora da avaliação, quem apresentar certificado que atende os requisitos, com cursos do Sebrae ou do Estado, por exemplo, tem direito à redução da taxa de juros”, disse o assessor.

Segundo Luiz Malucelli Neto, diretor de Mercado da Fomento Paraná, a parceria com o Sebrae é outro fator que traz ainda mais benefícios para os clientes. “Essa é uma parceria espetacular, assim como os agentes que nos representam em todo o estado. Cada crédito, pequeno, micro ou médio, amplia os negócios dos paranaenses em qualquer ramo, seja em salão de beleza, padaria… Isso fomenta também a geração de empregos”.

Como fazer um financiamento

A Fomento Paraná tem uma rede de agentes de crédito com mais de 300 pontos de atendimento no estado. “Ao chegar em um destes postos, basta a pessoa apresentar CPF e RG. Depois, ela será chamada para uma conversa, para buscar o seu crédito de acordo com o valor que ela necessita”, afirmou Malucelli.

Além dos documentos, o interessado precisa oferecer uma garantia, que no caso do microcrédito é um avalista. “Todo o procedimento é muito simples. Nós queremos que os empreendedores se sintam à vontade e não tenham medo de procurar pelo financiamento”, finalizou o diretor.

O microcrédito é voltado para quem fatura até R$ 360 mil por ano. Se essa empresa precisar de mais de R$ 20 mil, a Fomento Paraná também possibilita o financiamento, com linhas de crédito diferenciadas. Para tirar todas as dúvidas sobre esse e outros processos, clique aqui. 

A sede da Fomento é localizada na Avenida Vicente Machado, número 445, no Centro de Curitiba. O telefone para contato é o (41) 3200-5900.